TCS abre 50 vagas para seu programa de trainees em Londrina e São Paulo

A Tata Consultancy Services (TCS), empresa líder em serviços de TI, consultoria e soluções de negócios, está com 50 vagas abertas para seu programa de trainees, sendo 27 oportunidades em Londrina (PR) e 23 para Barueri (SP). Os alunos selecionados passarão por dois meses de treinamento antes de entrar diretamente nos projetos, que envolverão diversas áreas de atuação da empresa, como: Testing, Manual and Automation, projetos de desenvolvimento (Java, Angulas JS) e Big Data.

Os candidatos precisam estar no último semestre da faculdade – ou ter concluído o curso em 2017 – e o conhecimento de inglês é um diferencial. Podem participar do processo seletivo profissionais dos seguintes cursos: análise de sistemas, ciências da computação, sistemas de informação e processamento de dados. Também são levadas em consideração habilidades como capacidade analítica, visão sistêmica, proatividade, capacidade de trabalhar em grupo e vontade de aprender.

O processo de seleção dos jovens terá três etapas. A primeira será a inscrição através do site Vagas.com por meio do link: www.vagas.com.br/v1698785, até dia 15 de junho, e contará com testes de português, inglês e raciocínio lógico. A segunda fase incluirá dinâmicas de grupo e redação (em inglês e português) na própria TCS. Já a terceira e última será um painel de entrevista com executivos da companhia.

Os selecionados serão contratados em regime CLT, com direito a vale transporte, vale refeição e alimentação, assistência médica e odontológica e seguro de vida.

“A TCS valoriza muito seus talentos. Então, nesse momento, estamos em busca de jovens com potencial e vontade de aprender. Queremos investir nesses jovens profissionais para que eles cresçam conosco e façam parte da história da TCS nesse momento de consolidação e expansão”, comenta Parameswaran R., Head de Recursos Humanos da TCS Brasil.

“A TCS já está na era do Business 4.0 e nossos serviços estão totalmente voltados para o digital. Tanto em Londrina como em Barueri buscamos profissionais inovadores que estejam alinhados com esse mindset fundamental para o desenvolvimento no mercado de tecnologia, que já é inerente ao crescimento dos nossos negócios em todo o mundo”, analisa Tushar Parikh, Country Head da TCS Brasil.

Com crescimento das ameaças digitais, cibersegurança deve movimentar mais de US$ 85 bilhões em 2017

Malwares móveis e ransomware. Se não conhece esses termos em detalhes, saiba que eles fazem parte do grupo das principais ameaças cibernéticas da atualidade, que podem sequestrar informações estratégicas de grandes corporações, gerando prejuízos e muita dor de cabeça. Não é a toa que muitas companhias estão investindo em segurança para agir preventivamente e evitar a ação dos criminosos digitais.

O Instituto Gartner prevê que ao final de 2017 serão investidos US$ 86,4 bilhões (algo em torno de R$ 270 bilhões) em políticas de cibersegurança. Segundo seus analistas, o aumento dos gastos se deve não a um crescimento de ameaças, mas sim a uma maior percepção das lideranças corporativas quanto à importância de se proteger melhor deste tipo de ameaça.

Exemplo recente do poder dos ataques cibernéticos, o WannaCry, vírus do tipo ransomware, chocou o mundo afetando mais de 230 mil sistemas eletrônicos ao redor do mundo. Incluindo organizações como a Telefônica e o Sistema de Saúde Britânico. No Brasil, seus impactos também foram sentidos, principalmente o Tribunal de Justiça, o Tribunal Regional do Trabalho e o Ministério Público, todos do Estado de São Paulo, que retiraram seus sites do ar devido a invasão e sequestro de dados confidenciais.

Para discutir em profundidade o tema, o Futurecom 2017 promoverá o painel “Sua Empresa foi Invadida e Você não Sabe: Pequenos Descuidos e Grandes Prejuízos”, em que a diretora da Conteúdo Editorial, Graça Sermoud, especialista em conteúdos para web sobre segurança digital, mediará um debate sobre a importância de se proteger daquilo que você não vê, além de avaliar o custo-benefício de um maior investimento em cibersegurança, comparando os custos das soluções aos prejuízos causados nos negócios pela ausência delas.

Já no painel “Blockchain, Segurança “definitiva” para Internet?”, Gustavo Brigatto, jornalista especializado em tecnologia do Valor Econômico, será o mediador no debate que irá tentar descobrir se esta solução é definitiva para a segurança dos usuários em transações on-line, quebrando modelos de negócios tradicionais e reduzindo de maneira representativa os custos das operações.

“Com diversas ameaças trafegando pela rede, a segurança digital tornou-se uma questão prioritária para todas as indústrias, inclusive de telecomunicações. O nosso evento quer enriquecer este debate, trazendo novidades tecnológicas que poderão auxiliar as empresas nesta jornada de segurança, além de oferecer dicas para quem já tem ou deseja hospedar dados em nuvem”, afirma Laudálio Veiga Filho, presidente do Futurecom.

Futurecom 2017
Quando: de 02 a 05 de outubro de 2017, das 9h às 20h
Onde: Transamérica Expo Center – Avenida Doutor Mário Vilas Boas Rodrigues, 387
Informações: www.futurecom.com.br
Programação: futurecom.com.br/pt/o-evento/programacao-geral.html

Programa de Estágio Atos 2017 abre 20 vagas para Londrina e São Paulo

A Atos, líder mundial em transformação digital, abre o tradicional Programa de Estágio em ambas as sedes da empresa no Brasil (Londrina e São Paulo). Serão 20 vagas que darão a oportunidade para jovens universitários desenvolverem e aplicarem seus conhecimentos, ganhando experiência no mercado de TI.

Podem se candidatar estudantes dos cursos de Administração, Economia, Ciências Contábeis, Ciência da Computação, Tecnologia da Informação e Engenharias com formação prevista para até 2020. Entre os requisitos para a candidatura, estão inglês avançado e conhecimento intermediário em pacote MS Office.

“Atuamos em um dos setores que mais cresce no mundo, por isso procuramos jovens audaciosos, que nos tragam ideias inovadoras e que estejam dispostos a encarar os grandes desafios de uma empresa global de TI”, explica Francisco Fay, diretor de Recursos Humanos, Comunicação e Marketing da Atos América do Sul. “É uma grande oportunidade, já que muitos de nossos talentos deram seus primeiros passos na Atos por meio do Programa de Estágio”, complementa.

O contrato consiste em regime padrão de estágio, 30 horas de trabalho semanais e um pacote de benefícios, como vale transporte, vale refeição, plano de saúde e odontológico, e seguro de vida. Os estagiários selecionados terão contratação prevista de 2 anos.

As inscrições estão abertas dos dias 4 de setembro a 20 de outubro e podem ser realizadas somente por meio do site Vagas. Os interessados devem acessar o link: www.vagas.com.br/vagas/v1571468/estagiarios

Agenda do Programa:

Inscrições: Até 20 de outubro
Link: www.vagas.com.br/vagas/v1571468/estagiarios

Gartner alerta que organizações devem focar em novo modo de pensar a segurança para a Era Digital

O Gartner, Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento imparcial em tecnologia, afirma que a segurança é parte integral da equação de negócios digitais quando se trata de tecnologias como serviços em Nuvem e Big Data, dispositivos móveis e de TI, DevOps ágeis e Blockchain. Segundo o Gartner, experts em segurança precisam adaptar técnicas de segurança para a Era Digital.

“A verdade é que nós tínhamos uma visão de mundo binária que não existe mais. Branco ou preto, bom ou mau, a resposta é que não temos certeza em qualquer extremo. Pode ser qualquer um dos dois. Pode ser os dois”, diz Claudio Neiva, Vice-Presidente de Pesquisas do Gartner, durante o keynote de abertura da Conferência Gartner Segurança & Gestão de Risco 2017, em São Paulo. “Ambiguidade é a nova realidade. Adotem o cinza. A realidade é que os líderes de negócios estão se movendo a toda velocidade para frente, com ou sem você”, afirma Neiva.

Um novo modo de pensar sobre segurança e risco

Em 2014, o Gartner introduziu a Arquitetura de Segurança Adaptativa – Balanceando as capacidades de bloqueio e prevenção com uma equivalente e crítica capacidade de detecção e resposta quando o inevitável acontece.

Hoje, os especialistas em segurança devem focar em aplicar uma nova abordagem: CARTA – Continuous Adaptive Risk and Trust Assessment (Análise Contínua e Adaptável de Riscos e Confiança). A chave é aplicar a filosofia em todo o negócio, do DevOps até os parceiros externos.

“Nós precisamos nos concentrar em aplicar a CARTA não apenas a produtos já implementados, mas para novos serviços e recursos conforme eles são construídos”, diz Augusto Barros, Diretor de Pesquisas do Gartner.

Executar, construir e planejar

Os analistas do Gartner dizem que organizações devem aplicar a CARTA em todas as três fases da administração de riscos e segurança da informação: Executar – proteção contra ameaças e acessos durante execução; Construir – desenvolvimento e parceiros do ecossistema; e Planejar – governança de segurança adaptativa e avaliação de novos fornecedores.

Executar a CARTA

Quando se trata da CARTA, Data Analytics precisa ser uma parte padrão do arsenal. As companhias podem, apesar das grandes expectativas envolvendo Big Data, obter real valor com o aprendizado de máquina.

“A detecção de anomalias e o aprendizado de máquinas estão nos ajudando a achar os vilões que de outra forma passariam pelos nossos sistemas de prevenção baseado em regras”, comenta Felix Gaehtgens, Diretor de Pesquisas do Gartner. “É por isso que Analytics é tão relevante para operações de segurança hoje. O processo é bom para achar os vilões nos dados que outros sistemas não acharam.”
O tempo médio para detectar uma falha nas Américas é de 99 dias e o custo médio é de US$ 4 milhões. O Analytics vai acelerar a detecção e a automação vai agilizar o tempo de resposta, atuando como uma força multiplicadora para o time sem adicionar pessoas. O Analytics e a automação asseguram que as empresas foquem seus limitados recursos em eventos com maiores riscos de forma confiante.

Para a proteção de acesso no mundo digital, as companhias devem ser monitoradas constantemente. Fazer apenas uma autenticação é fundamentalmente falho quando a ameaça passa do portão. Por exemplo, se um usuário está baixando dados confidenciais para um dispositivo, a informação deve ser encriptada com administração de direitos digitais antes de ser baixada e então o usuário deve ser monitorado. Se ele começar a fazer muitos downloads, deve se restringir o acesso ou ativar um alerta para investigação.

Construir a CARTA

No que se refere ao DevOps, a segurança precisa começar cedo no desenvolvimento e identificar questões que representem um risco à organização antes de serem enviados para produção. Aplicações modernas não são desenvolvidas, mas montadas a partir de bibliotecas e componentes. É preciso procurar nas bibliotecas por vulnerabilidades conhecidas e eliminar a maior parte do risco. Para códigos proprietários, se deve balancear a necessidade de velocidade com a necessidade de segurança.

Parceiros de ecossistema adicionam novas capacidades de negócio e novas complexidades de segurança. “A administração de riscos não é mais domínio de uma única empresa e deve ser considerada em nível de ecossistema”, diz Gaehtgens. “O sucesso do meu produto ou serviço agora está diretamente ligado a outros. Meu risco é o risco deles. O risco deles é o meu risco. Estamos todos na mesma.”

Com o modo de pensar a CARTA, as organizações devem continuamente avaliar o risco do ecossistema e se adaptar conforme necessário. Os parceiros também devem analisar a sua companhia, infraestrutura, controle e reputação digital da marca. Para ecossistemas com um provedor dominante, a única forma de uma companhia entrar no ecossistema é depois de uma avaliação de riscos e segurança. Se a sua companhia for muito insegura, a organização pode ser removida do ecossistema. O monitoramento contínuo e a avaliação de riscos e reputação de grandes parceiros digitais é essencial.

Planejar a CARTA

A mudança para o modo de pensar CARTA mudará como os fornecedores são avaliados daqui pra frente. Eles devem oferecer cinco critérios: APIs abertos, suporte para práticas modernas de TI como Nuvem e containers, suporte a políticas adaptativas como ser capaz de mudar posturas em relação à segurança baseadas em contexto, e um foco em prevenção de ameaças e sistemas de detecção que possam proteger de uma grande gama de ameaças de forma precisa e eficiente, usando métodos analíticos diversos.

“A abordagem estratégica CARTA permite que digamos sim mais frequentemente. Com uma abordagem binária de permitir/negar não temos outra escolha além de ser conservadores e dizer não”, diz Neiva. “Com a CARTA, nós podemos dizer sim, e nós monitoraremos e avaliaremos para ter certeza, nos permitindo alcançar oportunidades que antes eram consideradas muito arriscadas.”

Sobre a Conferência Gartner Segurança & Gestão de Risco 2017

A Conferência Gartner Segurança & Gestão de Risco 2017 apresentará conteúdos com foco em segurança de TI, gestão de risco, compliance e gestão de continuidade de negócios, além de analisar o papel dos profissionais de segurança da informação (CISO – Chief Information Security Officers). Cada programa oferece uma agenda diferenciada, incluindo sessões com analistas, palestras, mesas-redondas, estudos de caso, workshops e muito mais. Informações adicionais estão disponíveis no site:
http://www.gartner.com/events/la/security.

GFT investe R$ 5 milhões em novas operações em Curitiba e São Paulo

A GFT, companhia de Tecnologia da Informação especializada em Digital para o setor financeiro, anuncia o investimento da ordem de R$ 5 milhões para ampliação de suas estruturas. Desse montante, R$ 3 milhões serão dedicados ao novo site, que será inaugurado em Curitiba, capital do Estado do Paraná, com capacidade para atender 200 colaboradores. O restante, R$ 2 milhões, faz parte do investimento para ampliação do site de Alphaville, região metropolitana de São Paulo, para receber mais 150 profissionais, totalizando 1000 posições no Brasil.

O investimento da companhia dobrará suas operações para atender o crescimento das demandas do Brasil e dos projetos internacionais em Digital. Ambas inaugurações estão previstas para serem lançadas em dezembro de 2016. Periodicamente, a GFT vem promovendo uma série de ações para ampliar sua capacidade de atendimento local e na América Latina. Entre eles, estão as expansões dos seus centros de desenvolvimento, localizados em Sorocaba e Alphaville, devido ao fortalecimento e crescimento da companhia no País.

Seguindo a linha de crescimento, a empresa investiu em Centros de Excelência e Práticas de Especialização, vencendo cartier love bracelet replica a inércia do mercado local brasileiro através de um crescimento contínuo, especialmente por conta das demandas de mobilidade, BigData Analytics, Transformação Digital, Modelo cartier bracelet
de Entrega Ágil e DevOps de instituições financeiras.

“Os movimentos da GFT no Brasil, bem em meio a essa crise desmedida que estamos vivendo, comprovam o potencial que enxergamos no País”, pontua o regional managing director Latam da GFT, Marco Santos.

Tratando-se de operações internacionais, a frente Global Delivery Model da operação brasileira que, por sua vez, se baseia na exportação internacional de projetos e serviços de TI, tem contribuído bastante para que a operação nacional tenha uma abordagem forte e profissional, que contempla consultoria e desenvolvimento de projetos baseados em alta eficiência operacional, Metodologia van cleef arpels jewelry replica Agile e Entrega Contínua que, finalmente, remete a custos mais competitivos.

Somado a isso, estão aquisições como da empresa Adesis, focada na oferta Digital, que virou o grande foco de projetos no Brasil. Esta compra reforçou a presença da GFT no México, aumentando consequentemente a presença na América Latina, que já conta com operações no Brasil e na Costa Rica. Este movimento somou-se à estratégia da aquisição feita em 2014 da Rule Financial, que abriu as portas para o Brasil passar a cuidar da operação na América Latina por conta da grande atuação da Rule na Costa Rica. “Agora, a ideia é dar um grande salto com este novo site de Curitiba, que anunciaremos o início da operação no próximo mês”, finaliza Santos.