Grupo DB1 anuncia ERP para e-commerces

O EIVE é um ERP especializado em comércio eletrônico, que entrega velocidade, estabilidade e performance e mostra quanto sobrou financeiramente de cada venda. O EIVE conta com 19 anos de experiência do Grupo DB1 no ecossistema de e-commerce e tem como missão ajudar os sellers a atingirem alta performance aliada aos resultados de negócio. O nome foi inspirado na junção das iniciais das palavras e-commerce, integração, velocidade e estabilidade e em Maori significa extraordinariamente.

O EIVE permite operações com alto volume de vendas e integração com mais de 20 marketplaces, plataformas de e-commerce, Correios e outras transportadoras. Com processos robustos e foco em gestão, o sistema automatiza os processos e evita a necessidade de controles paralelos, minimizando erros e aumentando a segurança da informação. Além disso, já chega ao mercado com integração nativa com o ANYMARKET, plataforma de vendas em marketplaces com mais de 1.000 clientes conectados a mais de 20 marketplaces, e o KONCILIA, o primeiro software de conciliação de pagamento dos marketplaces do mercado.

De acordo com Alison Garcia Mucio, diretor de unidade da DB1 Gestão Empresarial, uma empresa do Grupo DB1, “percebemos o mercado de e-commerce muito carente de uma solução de ERP para empresas de médio porte e apresentamos este recurso robusto e estável para clientes que estão saindo do estágio inicial de vendas online e precisam de uma ferramenta que atenda seu crescimento”, explica.

Atualmente o EIVE já conta com um portfólio com 65 clientes, entre eles Mania Virtual, MegaStore, Mirão, LT2 Shop, All Nations, Oderço, Dicomp, Autoequip, Cofebral, que são da área de e-commerce, além de outros diversos projetos em implantação.

Além do Know how do grupo DB1 com o segmento de e-commerce o EIVE se diferencia no mercado pelo quesito rentabilidade. “Em e-commerce é muito comum se falar de crescimento em faturamento e número de pedidos. Entendemos que é preciso tomar cuidado para essa não ser uma métrica de ego. Mais importante do que isso é a rentabilidade e o EIVE vem para ajudar os sellers a crescerem com resultados sustentáveis”, explica Alison.

Acom Sistemas moderniza ERP EVEREST para garantir transformação digital vivida por clientes

As mudanças impostas pela agilidade de um mundo cada vez mais móvel e conectado exigem uma grande adaptação, principalmente, no comportamento e no uso de tecnologias nas empresas. Não há mais espaço para projetos de custos exorbitantes, longos, que tomam muito tempo e que levam a uma utilização extensiva de recursos humanos e investimentos das corporações.

Alinhada às novas tendências e conceitos, a ACOM Sistemas apresenta o EVEREST Gestão Empresarial 3.0. “Hoje, os usuários têm uma forma diferente de se relacionar com o ERP. Não podemos mais pensar em sistemas monolíticos em que um usuário, para incluir uma nota fiscal, precisa entrar em 4 ou 5 telas e preencher uma enormidade de informações. É preciso que o sistema tenha uma interface amigável, que permita ao cliente operar sem grandes investimentos em treinamento e vastos manuais. A interação deve ser semelhante à que ele tem com o smartphone”, afirma Carlos R. Drechmer, diretor de tecnologia da empresa. “Realizamos uma série de mudanças na arquitetura do EVEREST, incluindo a integração com vários aplicativos para melhorar a experiência dos usuários e facilitar a migração de nossa base de mais de 800 clientes”, completa Drechmer.

As áreas de desenvolvimento, operacional e comercial foram ampliadas, criou-se uma equipe de testes específica para a nova plataforma, um novo software de testes foi adquirido, tudo para garantir a entrega da nova versão com a máxima documentação e menor impacto sobre suporte. Pensando também em melhorar o uso das soluções, serão disponibilizados vários treinamentos no modelo de educação a distância (EAD).

A nova plataforma vai operar no conceito de nuvem, que inclui uma ferramenta de Business Intelligence para análise em tempo real dos negócios, com indicadores de gestão para cada segmento. Além disso, o sistema terá suporte para ser operado por apps via smartphones.

Cada usuário poderá personalizar a tela que utiliza e a disposição de aplicativos. O layout do sistema também vai acompanhar o segmento que atende, seja da indústria, do comércio ou varejo de restaurantes, por exemplo.

O diretor operacional Eduardo Ferreira salienta que todos os esforços são no sentido de fazer, da nova versão do EVEREST, uma ferramenta ágil e com a mesma robustez e confiança do sistema que sempre garantiu uma experiência extremamente confiável aos clientes. “O fato de termos um sistema com mais de 15 anos, utilizado por um mercado tão exigente, nos deu ótimos parâmetros para responder quais melhorias são necessárias para ter um produto atualizado. Além da experiência “de campo”, as tecnologias mundiais lançadas ao longo destes anos geraram, para nós, uma lista de melhorias a serem incorporadas nesta nova versão. O EVEREST 3.0 estará mais preparado para gerar informações através de novas funcionalidades técnicas, que permitem, numa mesma tela, consultas rápidas com agrupamentos, ordenações e filtros configuráveis pelo usuário”, explica Ferreira.

O novo EVEREST 3.0 também segue padrões de governança corporativa e compliance fiscal. Para isso, foi contratada uma consultoria especializada nas áreas fiscal e contábil, garantindo o cumprimento de obrigações legais. Há, também, um cuidado especial com regras de segurança da informação.

Toda essa transformação foi viabilizada pelo constante crescimento da ACOM com atenção em seus clientes. “Tivemos ainda, um aporte da Finep, via BRDE – Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, que, após análise do projeto, viabilizou o financiamento por meio da linha de crédito Inovacred. Este investimento deu a garantia para que pudéssemos adquirir as licenças de software, novas máquinas e contratação de profissionais”, comemora Carlos R Drechmer.

Para Marcelo Gallo diretor comercial e de alianças, “todo este movimento e investimento é reflexo do foco e da dedicação nas verticais onde a empresa atua. Definimos nossa estratégia de atuação há três anos e, de lá para cá, crescemos mais de 200%, conquistando mais de 25 grupos empresariais nos mais diversos segmentos. O novo EVEREST 3.0 vai nos possibilitar implantar mais rápido e com um custo ainda mais acessível, permitindo um crescimento maior da empresa”, comenta Marcelo Gallo.

Microsoft Dynamics Latam: brasileira 4Results aposta em crescimento em ambiente internacional

A paranaense de TI 4Results, sediada em Curitiba, reforça o trabalho de qualificação da equipe para geração de novos negócios depois de integrar, recentemente, o Microsoft Dynamics Latam, que reúne parceiros Microsoft habilitados a atender demandas regionais em projetos de empresas de mais de uma dezena de países da América Latina e também da Europa.

Apoiado pela Microsoft, o Dynamics Latam é uma aliança que fornece os serviços que são necessários para a implementação do Microsoft Dynamics ERP e Microsoft Dynamics CRM.
Combina pontos fortes e capacidades de cada participante para oferecer os melhores serviços ao mercado corporativo. Diocalisto Breis Jr. , diretor comercial da 4Results, ressalta que a participação nessa comunidade como representante brasileira do grupo credencia a empresa como um player internacional no cenário da TI corporativa.

Estudo revela nichos de mercado para empresas de TI no Paraná

As empresas de Tecnologia da Informação (TI) do Paraná devem apostar, nos próximos anos, em soluções de varejo, educação, saúde, agronegócio e gestão remota, incluindo logística, gestão de frota e rastreabilidade. A orientação faz parte de um planejamento estratégico para a consolidação do setor, uma iniciativa do Sebrae/PR, Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Assespro-Paraná), Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) e Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar).

O Plano Estratégico Estadual para o Setor de TI foi divulgado durante um encontro no Sebrae/PR, em Curitiba, que reuniu empresários e lideranças do setor. O estudo, indicando os novos nichos de mercado a serem explorados pelas empresas de TI, foi realizado pela Competitiviness, empresa internacional especializada em levantamentos e análises de tendências sobre o setor de TI. O estudo, que levou seis meses para ser concluído, envolveu lideranças dos seis Arranjos Produtivos Locais (APL) – Maringá, Londrina, Curitiba e Região Metropolitana, Campos Gerais, Oeste e Sudoeste – e incluiu entrevistas com 70 empresários de TI, além da análise de perfil de mais de 400 empresas paranaenses.

Para o diretor de Operações do Sebrae/PR, Julio Cezar Agostini, os empresários paranaenses devem investir energia nesses nichos, para garantir a sustentabilidade de seus negócios. “A iniciativa de realizar o estudo surgiu da necessidade de garantirmos a sustentabilidade das empresas que atuam com TI. Ficamos bastante satisfeitos com o interesse demonstrado pelos empresários na apresentação do Plano Estratégico Estadual, pois é um caminho que aponta os novos rumos do setor e a sobrevivência de seus negócios”, afirma.

O Plano Estratégico Estadual inclui ainda um ‘mapa’ das empresas paranaenses, responsáveis pela geração de 16 mil empregos, e das instituições que trabalham no apoio ao setor de TI no Estado, como incubadoras e universidades, conforme explica o presidente da Assespro-Paraná, Sandro Molés. “Os indicadores científicos, obtidos com esse estudo, mostram áreas saturadas e novas oportunidades para o mercado de TI no Paraná e apontam as características de cada localidade por meio de um mapeamento regionalizado”, explica Molés.

A ideia de construir um planejamento estratégico para o setor de TI, fruto da mobilização dos próprios empresários e das entidades e instituições de apoio, surgiu há aproximadamente dois anos, durante o Paraná TIC, considerado o maior evento do setor no Estado. O presidente do Tecpar, Julio Félix, destaca que o Paraná é o primeiro estado brasileiro a fazer um plano estratégico desta envergadura. “Não existe capacidade de competir sem planejar. Esperamos que a iniciativa traga resultados e que sirva de exemplo para o País.”

Governança

A criação de uma governança, composta por lideranças do setor, é outra orientação que consta no Plano Estratégico Estadual, divulgado pelo Sebrae/PR, Assespro-Paraná, Seti e Tecpar. O tema foi discutido pelos empresários e lideranças, durante o encontro em Curitiba. A expectativa é que o grupo gestor seja formado ainda neste ano. “Com uma governança representativa e participativa, será possível formular e garantir ações em benefício do setor”, observa o coordenador estadual do Setor de TI do Sebrae/PR, Emerson Cechin.

“Existem muitas oportunidades para o desenvolvimento de novas tecnologias no Paraná, as quais constam no estudo, principalmente através da inter-relação dos setores e investimento no potencial do Estado. É preciso incentivar a integração dos arranjos produtivos locais existentes com as empresas e universidades, para que seja realizada uma construção coletiva. É nesse sentido que o grupo irá agir, para articular medidas que melhorem o ambiente de atuação das organizações de TI no Paraná”, reforça Emerson Cechin.

O coordenador estadual do Sebrae/PR defende investimentos no setor de TI. No seu entendimento, não são apenas as empresas do setor as beneficiadas. “As soluções desenvolvidas pelas empresas de TI são pensadas para facilitar a vida das pessoas e, invariavelmente, causam impactos positivos em toda a cadeia produtiva na qual estão inseridas, o que beneficia a economia do Estado, como um todo, e os serviços oferecidos para a sociedade”, complementa Emerson Cechin.

Fonte: Sebrae Paraná

TOTVS adquire a paranaense Virtual Age e reforça estratégia de segmentação

Reforçando cada vez mais sua especialização e atuação em segmentos econômicos, a TOTVS, líder no desenvolvimento de softwares de gestão empresarial, anunciou ontem a compra de 100% do capital social da Virtual Age, empresa especializada no desenvolvimento de softwares na nuvem para toda a cadeia de Moda Têxtil e Vestuário. Sediada na cidade de Cianorte, no Paraná, a Virtual Age está há 27 anos no mercado, ofertando tecnologia para o segmento com soluções especializadas que vão desde a fiação até o varejo, passando por tecelagem, beneficiamento, confecção, atacado e comercialização.

Suas soluções controlam mais de um bilhão de peças de roupa, por ano, em todo o Brasil. A empresa atende uma sólida carteira de mais de 500 clientes, dentre os quais se destacam os maiores fabricantes de camisas, calças sociais, jeans e ternos do Brasil, como a Água de Coco, Osmoze, Sawary, Nicoboco, Oppnus, Cobra D’água e Patrícia Bonaldi, além de atender a rede de lojas da maior camisaria da América Latina. A Virtual Age comercializa suas soluções no modelo SaaS (“Software as a Service”), com uma recorrência de 81% de sua receita. Seu faturamento líquido esperado para 2014 é de R$ 29 milhões.

“Com esse movimento, a TOTVS reforça sua estratégia de especialização e entra em definitivo no setor de Moda Têxtil e Vestuário, combinando suas forças de distribuição com os produtos especializados e o conhecimento de negócios da Virtual Age”, destaca Gilsinei Hansen, vice-presidente de Segmentos e Sistemas da TOTVS.

A empresa adquirida pela TOTVS foi pioneira em ofertar softwares web para o mercado de moda e uma das primeiras a ter um ERP especialista integrado ao sistema de RFID (Radio Frequency Identification). Além disso, a Virtual Age tem uma vasta experiência em lojas de departamento com gestão de crediário e cartão próprio, atendendo diversas redes por todo o Brasil.

Alexandre Mafra, vice-presidente executivo Financeiro da TOTVS, explica a importância de investir em projetos que reforcem e complementem as soluções ofertadas pela companhia. “Demos mais um passo para fortalecer nossa vocação com a estratégia de segmentação e a oferta de produtos cada vez mais essenciais e ágeis aos nossos clientes, independentemente do setor em que atuam”, conclui.

4Results amplia equipe e área de atuação em implantação e suporte do Microsoft Dynamics AX

Em uma entrevista para o progrma de tv Valor Agregado, Cristiane Werner, diretora executiva da 4Results e Diocalisto Breis, diretor comercial, falam sobre os planos da 4Results para 2014. A empresa aumenta a equipe para se fortalecer como grande parceiro Microsoft na implantação e suporte do Dynamics AX. A 4Results iniciou o ano comemorando a participação em um novo projeto do AX na Federação das Indústrias do Paraná e projeta dobrar o faturamento com maior participação no sul e no sudeste do Brasil.

Fiep adota Dynamics AX da Microsoft. 4Results participa do projeto.

via Baguete

A Federação de Indústrias do Estado do Paraná (FIEP) vai investir R$ 3,4 milhões na implementação do sistema de gestão Dynamics AX, da Microsoft.

O valor será dividido entre dois parceiros da multinacional americana que participaram de uma concorrência pública cujos resultados foram divulgados na quarta-feira, 15.

A maior parte ficou com a paulista BBKO Consulting, que levou R$ 2,5 milhões. Os R$ 840 mil restantes ficaram com a paranaense 4Results.

A BBKO deve entregar 9,6 mil horas de suporte local a um custo de R$ 120 e outras 1,9 mil remotas, por R$ 125.

Também fazem parte da atribuição dos paulistas 8,2 mil horas de consultoria por R$ 140 e 10 mil horas de desenvolvimento por R$ 120.
Já a participação da 4Results é na entrega de 10 mil horas de desenvolvimento a R$ 84 a hora.

Leia a reportagem completa no Baguete.

Clécio Chiamulera, da Ibema: “Microsoft Dynamics AX implantado pela 4Results é case de sucesso nacional”

Em uma reportagem em vídeo, o diretor financeiro da Ibema -Cia de Papel explica porque considera um case de sucesso nacional a implantação do ERP Microsoft Dynamics AX na empresa. O trabalho foi realizado pela 4Results, que também teve destacada a atuação na questão da gestão de legado durante o processo.