• Congresso Paranaense de Gerenciamento de Projetos 2016

    Congresso Paranaense de Gerenciamento de Projetos 2016

Prati-Donaduzzi é premiada pela GS1 Brasil

A Prati-Donaduzzi, maior fabricante de medicamentos genéricos do Brasil¹, é reconhecida pela Associação Brasileira de Automação – GS1 Brasil pelo case “Segurança ao paciente: GS1 Datamatrix® para fracionar medicamentos e promover rastreabilidade na unidade hospitalar”. A farmacêutica foi premiada pela implantação do código Datamatrix® em blísteres de alumínio para medicamentos sólidos orais em doses fracionáveis.

Criado em 1998 com a finalidade de reconhecer os esforços de empresas e organizações na divulgação do Sistema GS1, o Prêmio de Automação se tornou referência nacional quando o tema é inovação, gestão e empreendedorismo.

Segundo o diretor comercial da Prati-Donaduzzi, Walter Batista, a empresa busca constantemente aumentar a segurança dos medicamentos. “Sempre nos preocupamos com a necessidade de aprimorar os sistemas de segurança e controle em todos os processos. Da produção à comercialização de um medicamento, o Datamatrix® beneficia todos os envolvidos”, ressalta Batista. “Essa premiação é resultado da nossa busca pela segurança e saúde das pessoas”, completa o executivo.

O Datamatrix® é um código com leitura bidimensional que possibilita a impressão de até 36 mil caracteres, em espaço reduzido, garantindo as informações necessárias para a rastreabilidade total de medicamentos, sendo o escolhido por diversos países como Turquia, Índia e Argentina.

Sobre a implantação do código pela indústria

Reconhecendo a necessidade dos hospitais, a Prati-Donaduzzi iniciou o projeto para aplicação do código. Inicialmente, a tecnologia foi aplicada aos produtos da linha de medicamentos fracionados sólidos orais.

A implantação do Datamatrix® foi um pioneirismo da farmacêutica no País, alinhada às necessidades dos hospitais brasileiros onde cada dose de medicamento é fracionada ocorrendo retrabalho, além dos custos adicionais de perda de validade, etiquetagem de identificação, muitas vezes feitos de forma manual, ficando suscetível a erros e perdas. Hospitais de referência no Brasil, onde a preocupação com o paciente e a garantia da qualidade é uma prioridade relevante, adotam esta tecnologia, garantindo assim conceito e certificações internacionais.

¹Fonte: IMS Health MAT Set/2016 PMB+NRC / Doses terapêuticas.

Greca apresenta propostas de governo para Curitiba na ACP

Fotos: Cassiane Zambão/ ACP

Fotos: Cassiane Zambão/ ACP

O prefeito eleito Rafael Greca anunciou, em evento especial na Associação Comercial do Paraná (ACP) realizado na manhã desta terça (22), na sede da entidade, que pretende desburocratizar a prefeitura para incentivar a geração de renda, empregos e reduzir a corrupção. A medida deverá ser aplicada durante a sua gestão, juntamente com ações para promover agilidade na liberação de alvarás, isenção das taxas de recuo e uso das calçadas, além da concessão do CNPJ em parceria com a Junta Comercial.

“A ACP mantém abertos os canais para a intensificação do diálogo produtivo com representantes do sistema político-partidário nos níveis municipal, estadual e federal”, disse o presidente Antonio Miguel Espolador Neto. A entidade recebeu o prefeito a convite do Conselho Político, coordenado por Sinval Lobato Machado, com o intuito de oportunizar a apresentação do plano de governo de Greca a expressivo número de empresários, associados, representantes da sociedade organizada .

Espolador destacou que a ACP é “apartidária, mas não apolítica e tem o crédito e a confiança delegada de seus milhares de associados para interagir nesse cenário importante da vida nacional, a fim de estar preparada para fornecer respostas adequadas sobre as relações do empresário com o Estado”, finalizou.

Setor de TI do Paraná vai ter Bancada Digital na Assembleia Legislativa

Em visita ao Comitê Estadual de Governança de Tecnologia da Informação e Comunicações, o deputado estadual Guto Silva anunciou a criação de uma bancada digital na Assembleia Legislativa. A iniciativa visa fortalecer o setor de TIC, considerado um dos mais importantes para o crescimento da economia do Paraná. Veja mais detalhes em reportagem do Valor Agregado.

Paraná entre os melhores na Olimpíada do Conhecimento 2016

O Senai Paraná foi o segundo colocado na classificação geral da Olimpíada do Conhecimento 2016. Depois de quatro dias de competições e provas, das quais participaram 1.200 competidores de 26 estados do país, foram premiados os melhores alunos em sete áreas tecnológicas.

Os estudantes do Paraná trouxeram para casa 12 medalhas: 6 de ouro, 3 de prata e 3 de bronze. A delegação paranaense foi composta por 48 alunos e 11 avaliadores.

A Olimpíada do Conhecimento é o maior torneio de Educação Profissional das Américas e foi realizado em Brasília. O evento acontrece a cada dois anos e nesta edição, com novo formato, recebeu mais de 118 mil visitantes em um espaço de 50 mil metros quadrados.

Os alunos foram avaliados por conhecimentos teóricos e práticos, habilidades intelectuais e atitudes consideradas essenciais para o exercício profissional. São levados em conta ainda, os produtos de projetos desenvolvidos em uma situação real de mercado nas diversas áreas.

Para a gerente executiva de Educação do Sesi e Senai Giovana Punhagui, “foi uma grande oportunidade de os alunos mostrarem o que aprenderam e para trocar experiências. Acredito que esses sejam os maiores ganhos de eventos como esse. Trata-se da prática aliada à teoria e em tempo real”.

Vanessa Frason, gerente de Educação Profissional do Senai, compartilha a ideia. “Com o novo formato, a edição desse ano reflete o processo educacional. O que acontece na Olimpíada é o que ocorre em sala de aula, com buscas inovadoras para problemas que são da vida real”, afirmou.

Medalhas de ouro

Nas avaliações individuais, o Paraná recebeu o ouro pelo desempenho de Johnata dos Santos Matheus, em Usinagem CNC (Comando Numérico Computadorizado). Os competidores de seis estados tiveram uma hora para programar e simular a fabricação de uma peça com base no projeto solicitado pelos organizadores da prova. Eles usaram um software simulador de uma máquina CNC para fabricar peças de forma automática.

Outro ouro foi conquistado pelo aluno Carlos Eduardo de Almeida, em Web Design, que teve como desafio uma hora para realizar melhorias em um site de um banco de sangue do Distrito Federal, com o objetivo de incentivar as pessoas à doação. As melhorias deveriam ser feitas com base em recursos e parâmetros técnicos fornecidos. O trabalho foi avaliado pelo público presente.

Gustavo Cavalcante Borges, que recebeu o terceiro ouro do Paraná, teve uma hora para elaborar um jogo, com base no banco de dados e parâmetros técnicos fornecidos. A escolha para esse desafio, de Soluções em Software, foi feita por votação popular.

Também receberam ouro dois alunos que participaram do Sistema de Avaliação da Educação Profissional (Saep). Essas foram avaliações práticas em que se analisaram a qualidade da educação em cinco cursos técnicos e três de qualificação ofertados pelo Senai. Os alunos vencedores foram Milton Bittencourt do Técnico em Edificações e Daniel Francisco Dallavale Júnior, do Técnico em Mecânica.

E uma medalha de ouro foi entregue ainda para a ex-aluna Giseli Silvestre, com deficiência auditiva (Categoria Pessoa com Deficiência – PcD), em Costureiro Industrial. Giseli competiu com outros 9 participantes de vários estados na confecção de uma camiseta polo, no período de 5 horas, e de uma saia cargo em seis horas.

Medalhas de prata

Ainda nos desafios individuais, o aluno Marcelo Sedoski recebeu a medalha de prata pelo desempenho em Eletrônica. Ele ficou em segundo lugar na tarefa de soldar e montar uma placa eletrônica para controlar e realizar o funcionamento de uma máquina.

Já Leandro Ribeiro Moreira levou a prata por sua atuação no desafio de Gestão de Redes. Os alunos competidores tiveram uma hora para montar e configurar uma rede wireless (sem fio) com total segurança, e capturar em vídeo imagens do público que acompanhava o desafio.

Nos desafios por equipes, a prata ainda ficou com os alunos da área de Transporte e Logística. Cacio Eduardo dos Santos Fonseca, Gabriel Ferreira Dos Santos, Gabriella Dos Santos Leal e João Matheus Strehl tiveram que transformar o motor, a suspensão, o sistema de som e a aparência de seis Ford Ka novos, de motor 1.5 e 110 cavalos. Tudo isso com R$ 25 mil que receberam e as metas de modificar a potência do motor, ampliando-a para pelo menos 120 cavalos.

Medalhas de bronze

Única representante feminina no desafio individual de Soldagem, Jheniffer Silva ficou com o bronze. Ela e seus adversários tiveram que, com uma máquina de solda, montar e soldar um quadro de bicicleta em uma hora.

Também trouxe o bronze o aluno Gabriel Ferreira dos Santos. Ele participou do desafio individual em Pintura Automotiva, em que os competidores tiveram que reparar riscos e defeitos de pintura na porta de um veículo com ferramentas manuais para polimento e tintas para pequenos reparos. O trabalho foi avaliado pelo público presente no evento.

Inova Senai

O Paraná, que concorreu com três projetos no Inova Senai, ficou com o bronze para o Bio Fitch, um filtro biológico para tratamento de chorume.

Criado com o objetivo de desenvolver a capacidade empreendedora e a inovação, o Inova promove projetos elaborados por alunos, professores, consultores e técnicos do Senai. Durante a Olimpíada do Conhecimento 2016, foram submetidos 310 projetos inovadores e os 30 finalistas ficaram expostos ao público. Desde 2012, o Centro Internacional de Inovação do Senai Paraná realiza junto ao Departamento Nacional do Senai a organização do prêmio, capacitação em modelagem de negócios inovadores, mentoria e preparação das equipes para apresentação aos investidores.

Grand Prix Nacional

Recebeu troféu de terceiro lugar a equipe paranaense que participou do Grand Prix. Durante 72 horas ininterruptas os alunos do Senai de vários estados precisaram apontar soluções para problemas apresentados pelas empresas Bosch, Renault, Lakes Fish e O Boticário.

#CataratasDay2016 mobiliza pessoas em homenagem às Cataratas

f568d965-b877-47e3-8ef5-f78382cecffe

Uma grande mobilização acontece em duas frentes, nesta sexta-feira (11), para o #CataratasDay2016. Nas redes sociais de internet, pessoas de todo o mundo estão sendo convidadas a postar fotos e vídeos das Cataratas do Iguaçu para marcar o aniversário de cinco anos da eleição do atrativo como uma das Sete Novas Maravilhas da Natureza.

Em outra iniciativa mais direta, os iguaçuenses e turistas estão sendo convocados a fazer selfies no Parque Nacional do Iguaçu. Haverá transporte e entrada de graça, saindo de seis pontos diferentes de Foz do Iguaçu, para quem aderir ao chamado.

Estarão à disposição da população 50 ônibus, com saídas às 8 horas e 14h, do Terminal de Transporte Urbano (TTU), Gramadão da Vila A, Centro de Recepção de Visitantes de Itaipu, Praça da Bíblia, Parque do Remador e em frente à Uniamérica, na Avenida das Cataratas. Para evitar transtorno, é bom chegar para o embarque com 15 minutos de antecedência.

Postagens com #CataratasDay2016

As postagens devem ser compartilhadas com os amigos, usando qualquer mídia: Facebook, Instagram, Twitter, Google Plus, Youtube, Flickr e Tumblr. O importante é marcar com a hashtag #CataratasDay2016.

A ação marca o aniversário de cinco anos da consagração das Cataratas do Iguaçu como uma das Novas Sete Maravilhas da Natureza, neste dia 11 de novembro. O movimento é feito no lado brasileiro e argentino do Parque Nacional do Iguaçu. Com o tema Celebre a Biodiversidade, a ideia é, ao mesmo tempo, reafirmar a importância de se preservar o patrimônio natural que o Brasil e a Argentina dividem.

Meta

A meta é atingir, pelas mídias sociais e também pela mídia convencional, mais de 100 milhões de pessoas no mundo inteiro. No ano passado, foram 77 milhões. A estimativa é que haverá 10 mil postagens sobre o evento, ante 6.500 no ano passado.

Em relação aos selfies, no ano passado foram 2.800, a ação pretende chegar a 5 mil. As fotos terão cartazes alusivos ao tema da campanha deste ano, além de remeter à hashtag #CataratasDay2016.

O evento é do Comitê Local Vote Cataratas com representantes nos dois lados da fronteira. A iniciativa tem o apoio da Itaipu Binacional.

Paraná lidera indicador de lucro líquido em ranking das 500 maiores empresas do Sul

Ao colocar a lupa na última linha do balanço, aquela que define se o ano fechou no azul ou no vermelho, a edição 2016 do ranking GRANDES & LÍDERES – 500 Maiores do Sul revela que as companhias do Paraná se saíram melhor que as gaúchas e as catarinenses. Elas produziram uma soma de lucros de R$ 16,9 bilhões, enquanto as empresas de Santa Catarina lucraram R$ 10,6 bilhões e as do Rio Grande do Sul praticamente a metade – R$ 8,8 bilhões. O ano recessivo de 2015 fez estragos, e a soma de prejuízos entre as maiores empresas do Paraná chegou a R$ 5,3 bilhões – mais do que o valor perdido por empresas catarinenses (R$ 1,3 bilhão), mas menos que a soma de déficits das gaúchas, de R$ 7,2 bilhões.

Assim como o Rio Grande do Sul perdeu força no ranking em anos anteriores, com a saída de empresas como Ipiranga, Copesul e Refinaria Alberto Pasqualini, o Paraná vê agora seus números encolherem com a incorporação da GVT pela Telefônica Vivo. Ao deixar de consolidar seu balanço em Curitiba, a GVT, que faturou mais de R$ 5,4 bilhões em 2014, foi excluída do ranking 500 MAIORES DO SUL. Na nova configuração, o Rio Grande do Sul se coloca à frente na soma das receitas líquidas (R$ 192,8 bilhões, ante R$ 178,7 bilhões das paranaenses e R$ 143,1 bilhões das catarinenses). E lidera, também, na soma dos patrimônios – R$ 109,1 bilhões, frente a R$ 99,4 bilhões do Paraná e R$ 72,1 bilhões de Santa Catarina.

“Apesar da crise vivida pelo país nos últimos três anos, é possível notar desenvolvimento das empresas do Sul em 2015. O cooperativismo se destaca cada vez mais e dá sinais de seu potencial para os próximos anos”, destaca o sócio da PwC Brasil e líder da região sul, Carlos Peres.

Método – Para apontar quem é quem entre as empresas do Sul, a Revista AMANHÃ e a PwC construíram um indicador exclusivo: o Valor Ponderado de Grandeza (VPG). O índice reflete, de forma equilibrada, o tamanho e o desempenho das empresas, a partir de uma ponderação que considera os três grandes números do balanço: patrimônio líquido (que tem peso de 50% no cálculo do VPG), receita líquida (40%) e lucro líquido ou prejuízo (10%).

A cerimônia especial de premiação das 500 MAIORES DO SUL será realizada em Porto Alegre no dia 17 de novembro, às 19h, na sede da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul.

Link para resultados: http://www.amanha.com.br/500maiores/

Ministro Marcos Pereira lança programa de apoio à indústria no Paraná

Em solenidade na Federação das Indústrias do Paraná, o ministro Marcos Pereira lançará nesta quarta-feira (26) o programa Brasil Mais Produtivo, iniciativa que busca aumentar em pelo menos 20% a produtividade das empresas participantes. O ministro participa também da entrega de certificado do milésimo treinamento da Redeagentes (Rede Nacional de Agentes de Comércio Exterior).

No Paraná, serão atendidos 200 empreendimentos pelo Brasil Mais Produtivo, em três setores. Selecionados a partir de estudos técnicos do MDIC, participação os empresários dos ramos Moveleiro, no APL de Móveis de Arapongas; Metalmecânico, no APL de Metalmecânico de Curitiba; e Alimentos e Bebidas, no APL de Alimentos, bebidas, orgânicos, erva mate (Londrina, Maringá e Curitiba).

O programa dissemina o uso de ferramentas de manufatura enxuta (lean manufacturing), baseadas na redução dos sete tipos de desperdícios mais comuns que ocorrem no processo produtivo: superprodução, tempo de espera, transporte, excesso de processamento, inventário, movimento e defeitos.

Cultura exportadora

A Redeagentes, programa do MDIC que já capacitou mais de 25 mil empreendedores em 256 municípios brasileiros, tem o objetivo de difundir a cultura exportadora e estimular a inserção de empresas de pequeno porte no mercado externo por meio da realização de treinamentos, cursos e oficinas sobre como exportar.

A capacitação, oferecida gratuitamente aos empreendedores, é realizada em parceria com diversas instituições localizadas nos Estados, que disponibilizam o local do treinamento e prestam apoio administrativo durante a realização das atividades. O MDIC oferece o material didático e os formadores, que ministram os cursos.

No estado do Paraná, já foram realizados 88 treinamentos para mais de duas mil pessoas em 23 municípios, entre eles Foz do Iguaçu, Londrina e Maringá. O milésimo treinamento da Redeagentes, realizado em Curitiba nos dias 25 e 26, oferecerá aos empreendedores o Treinamento em Exportação para Empresas de Pequeno Porte. Há ainda outras três modalidades de cursos realizadas no âmbito do programa: Treinamento para Agentes de Comércio Exterior; Curso Básico em Exportação; e Oficina sobre Ferramentas de Apoio ao Exportador.

Lançamento do Programa Brasil Mais Produtivo e encerramento do milésimo treinamento do programa Redeagentes

Hora: 10h
Local: FIEP – Federação das Indústrias do Estado do Paraná – Campus da
Indústria – Av. Comendador Franco, nº 1341 – Jardim Botânico

Samsung e Parque Tecnológico Itaipu se unem para projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação

A Samsung e o Parque Tecnológico Itaipu (PTI) trabalharam em conjunto na identificação de oportunidades de interesse comum alinhadas às suas áreas de pesquisa, desenvolvimento e inovação. A iniciativa resultou em uma parceria inédita com foco em inovação aberta, que explora as sinergias e oportunidades já identificadas, empregando processos e ciclos de desenvolvimento utilizados pela Samsung, alinhados ao capital humano disponível no Parque; atendendo assim necessidades específicas reais tanto do Parque Tecnológico quanto da Usina Hidrelétrica de Itaipu.

“Somos uma empresa de tecnologia e uma das coisas pelas quais a Samsung prima é pela liderança tecnológica, ou seja, estar à frente das novas tendências e produtos. Por isso, investimos para manter um fluxo constante de novas criações” explica o gerente de Inovação da Samsung para a América Latina Eduardo Conejo. “A Samsung é reconhecida pela inovação e compromisso em investimentos, dedicando mais de 6% de seus lucros globais para Pesquisa e Desenvolvimento”, completa.

Claudio Osako, diretor técnico da Fundação PTI, comenta as vantagens de trabalhar em parceria com a multinacional sul-coreana: “a Samsung trouxe a possibilidade de abrir sua plataforma de desenvolvimento, apresentando o que tem em termos de hardware e software para aplicações de mercado. Vamos aprender com essas plataformas, estruturar projetos específicos aproveitando nossa capacidade técnica instalada, a dinâmica de relação com universidades e empresas incubadas no PTI. Aproximar uma empresa global ao potencial que existe na Fundação PTI é um ‘ganha-ganha que potencializa o desenvolvimento tecnológico da região Oeste do Paraná'”.

Um plano de ações com projetos de curto e médio prazos já está em curso com o propósito em manter uma parceria de longa data, priorizando oportunidades locais e pensando em soluções para o entorno. “Com o domínio tecnológico, conhecimento e capacidade do nosso time, procuramos fazer o trabalho a quatro mãos, trazendo parceiros que tenham também o perfil de pesquisa e desenvolvimento. Assim, há mais chances de ter um resultado final muito maior, com produtos e serviços mais alinhados ao que o mercado demanda”, conclui Conejo.

A rotatividade de funcionários caiu em 2015 no Paraná

O Paraná teve um terço dos empregados (32,4%) substituídos em 2015, consequência do desaquecimento no mercado de trabalho. Segundo o Ipardes, nesse período o Estado perdeu mais de 75,5 mil vagas no mercado formal. Esse resultado e de outros 11 indicadores estão presentes no 8° Benchmarking Paranaense de Recursos Humanos que será divulgado no dia 19/10 (quarta-feira), às 7h30, no Hotel Bourbon. O estudo é realizado todos os anos pela Associação Brasileira de Recursos Humanos do Paraná (ABRH-PR) e a Bachmann Associados e os dados são correspondentes a 2015.

Nesta edição, 195 organizações participaram da pesquisa, uma amostra de cerca de 200 mil empregados que fornece uma visão geral dos aspectos relacionados à gestão de pessoas no Paraná. Essas empresas forneceram seus dados por meio de formulário eletrônico, permitindo o cálculo de 12 indicadores, como absenteísmo, rotatividade e percentual de horas extras, entre outros. “Para garantir a comparabilidade dos resultados apresentados, foram usados indicadores padronizados e validados por profissionais da ABRH-PR”, diz Dórian L. Bachmann, coordenador do estudo.

Segue um resumo dos principais indicadores do 8° Benchmarking Paranaense de Recursos Humanos, tendo como base o ano de 2015:

– Rotatividade voluntária: um décimo (9,7%) dos empregados pediu demissão em 2015, ou seja, quase um terço dos desligamentos foi por iniciativa dos empregados. “Resultado muito melhor que os dos anos anteriores”, comenta Bachmann. A perda de colaboradores por iniciativa dos empregados foi mais acentuada nos setores de comércio (16,2%) e de serviços (11,7%) que na indústria (6,8%).

– Retenção 90 dias: apenas 82,6% dos novos empregados admitidos continuaram nas empresas depois de 90 dias. Isto significa que um em cada quatro contratados não terminou o período de experiência.

– Absenteísmo: a quantidade de faltas ao trabalho cresceu um pouco, em quase todos os setores, com a média ficando em 2,7% do tempo. O setor com maior controle sobre este indicador foi o comércio, com absenteísmo de 2,3%. No geral, razões de saúde (Absenteísmo Médico) responderam por 44,4% do tempo perdido pelas ausências.

Horas extras pagas: corresponderam, em média, a pouco menos de 3% das horas trabalhadas. “O resultado, um pouco menor que nos anos anteriores, possivelmente melhorou em virtude do desaquecimento da economia e não pelas ações dos gestores”, resume Bachmann.

Terceirização: o levantamento confirmou que a terceirização é pouco praticada nas empresas, “possivelmente devido às restrições impostas pela legislação e à ideia de que se trata de recurso para reduzir despesas e transferir responsabilidades trabalhistas”, fala Bachmann. No geral, os terceiros correspondem a 9,2% do pessoal permanente; a série histórica indica uma estabilização, depois de vários anos de queda.

Percentual de mulheres: a participação feminina na força de trabalho, que cresceu até 2012, mantém-se estável em cerca de 40% nos últimos anos. O setor de serviços apresentou o maior percentual de mulheres (56,3%), enquanto no setor industrial elas representam um quarto das equipes (24,5%). O setor de construção pesada se mostrou o mais conservador, com apenas 6,2% de mulheres, enquanto os hospitais têm em média 81,1% de mulheres.

Taxa de Frequência de Acidentes com Afastamento (TFCA): a média de todas as empresas ficou em 8,32 acidentados por milhão de horas trabalhadas. “Este valor é semelhando aos dos dois anos anteriores, mas está em um patamar inaceitável pelo custo social e humano que representa, ainda que 55 organizações (28% da amostra) não tenham reportado acidentes com afastamento”, resume Bachmann.

Serviço – lançamento do 8° Benchmarking Paranaense de Recursos Humanos
Dia: 19 de outubro (quarta-feira), das 7h30 às 10h30
Local: Hotel Bourbon – Rua Cândido Lopes, 102 – Centro – Curitiba-PR
Inscrições: Até18 de outubro no site www.abrh-pr.org.br
Investimento: sem custo para associados da ABRH-PR e R$ 60,00 para não associados
Informações: (41) 3262-4317

Tecpar construirá fábrica de finalização da produção de medicamentos em Maringá

Tecpar construirá fábrica de finalização da produção de medicamentos em Maringá. Foto: Divulgação Tecpar

Tecpar construirá fábrica de finalização da produção de medicamentos em Maringá.
Foto: Divulgação Tecpar

O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) vai licitar, ainda neste ano, a obra para a construção da fábrica de finalização de medicamentos e vacinas, que vai dar suporte à produção da vacina antirrábica, já produzida pelo instituto, e aos demais medicamentos biológicos que serão produzidos. A planta industrial será instalada no campus do instituto em Maringá.

A unidade de fill and finish tem como objetivo realizar a formulação, envase, embalagem e armazenamento de medicamentos injetáveis produzidos pelo instituto. O projeto do prédio já foi licitado e entregue. A obra será licitada ainda em 2016. O projeto conta com investimentos do Ministério da Saúde e do Governo do Paraná.

A unidade ficará em Maringá como parte de um plano para descentralizar as operações do Tecpar pelo Paraná, explica o diretor-presidente do Tecpar, Júlio Felix. Na cidade, o instituto vai produzir medicamentos utilizados no tratamento de câncer, além de outros voltados ao tratamento de artrite reumatoide, psoríase e doenças crônicas.

TECNOPARQUE – A unidade de finalização vai ser construída no Tecnoparque da cidade, em um terreno doado ao instituto pela Prefeitura de Maringá que é destinado para a atração de empresas de base tecnológica.

“A finalização da vacina antirrábica será feita em Maringá, em um projeto de expansão do laboratório de produção do imunobiológico, que vai continuar em Curitiba. Essa planta de finalização ainda será usada para finalização dos medicamentos injetáveis que serão produzidos nos próximos anos pelo instituto”, explica Felix.

Hoje o Tecpar é o único produtor de vacina antirrábica no mundo que produz o imunobiológico em escala industrial pelo processo de perfusão, método que permite a obtenção da vacina com maior eficácia, reduzindo tempo e custos da produção. Em 2015, o instituto registrou a produção recorde de 15 milhões de doses do imunobiológico. Neste ano, a meta é entregar ao ministério 31,5 milhões de doses e para 2017, 30 milhões de doses.

Fonte: Agência Estadual de Notícias