O vidro temperado e a segurança da informação

Por Fernando Misato*

Há muito mais semelhanças do que se pode imaginar

A Tecnologia da Informação nem sempre é de fácil entendimento. Aliás, a maioria das vezes não o é. A Segurança da TI pode ter uma compreensão ainda mais difícil. Parte dessa dificuldade esta na própria característica dos profissionais da tecnologia que são mais adeptos às descrições técnicas. Por isso, muitas vezes, nós enquanto técnicos, comumente utilizamos metáforas de fatos cotidianos para traçar um paralelo com as explicações do mundo da tecnologia da informação. E é o que se segue.

Recentemente precisei comprar vidros para uma sacada da minha casa. Fiz o que manda o modelo mental do comprador moderno. Fui à internet pesquisar alguns vidraceiros nas imediações de onde moro. Solicitei por email orçamentos com as medidas desejadas. Até aqui tudo bem. As surpresas começaram com o recebimento das propostas. As variações de preços foram muito grandes. Coisa de 200%. Se há essa disparidade, significa que há algo para aprender ou não estou me fazendo compreender. Chamei alguns candidatos a fornecedor. Os mais baratos foram os que entregaram propostas com vidros simples (fazem lâminas quando quebram). Os medianos foram os que entregaram com vidros temperados. Os mais caros entregaram com vidros temperados laminados duplos. Aliás, um dos que me propôs vidros temperados laminados duplos também recomendou uma rede de proteção. Não por acaso foi o que mais perguntou sobre a minha casa. Cheguei a considera-lo inconveniente. Para que ele quer saber a idade de meus filhos, se tenho animal de estimação, que andar ficava a sacada, que tipo de piso uso?

Vivendo e aprendendo. Tive a oportunidade de aprender que quem propõe vidro temperado ou vidro simples em sacada deveria ser preso. E existem vários prédios muitos altos com vidro desse tipo. Em caso de acidente, se o vidro quebrar, o que fica na sacada é um vazio. Se existe criança nesse caso o risco é alto. Também há o risco dos pedaços caírem na cabeça de alguém. O erro de alguns vendedores de vidros foi fixar a atenção nas medidas que encaminhei. Não tiveram o cuidado de perguntar o uso e se deixaram levar pela ingenuidade/ignorância do comprador. Os piores foram os que reduziram o valor para tentar vender. Reduziram valor, reduzindo a segurança. No mercado de vidros não há critérios para especificar segurança.

Pode parecer absurdo. Mas no mundo da segurança da informação corporativa ainda temos vendedores de “vidros temperados para sacadas” para proteger os computadores das empresas. Nós enquanto empresários de qualquer segmento, não temos obrigação de saber comprar softwares para proteger nossos negócios. Longe disso. Sabemos que os computadores hospedam a empresa inteira. Os computadores emitem notas fiscais, fazem faturamento, enviam propostas, gravam dados de clientes, gravam projetos, gravam tudo do negócio e acessam os bancos.

Compreender os riscos de uma sacada de vidro parece ser mais fácil. A proteção de computadores exige cuidados bastante diferentes e mais complexos. O patrimônio da TI a ser protegido tem valores diferentes dos das sacadas. Cada um a seu valor, ambos exigem profissionais experientes para a melhor solução de proteção. Queremos o menor risco. De preferência, sem depender somente do bom senso de amadores e muito menos da sorte.

* Fernando MIsato, Business Consultant na Consultcorp, especializada em Segurança da Informação

Compartilhar
Marcado , , , , , .Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.