Grupo DB1 anuncia ERP para e-commerces

O EIVE é um ERP especializado em comércio eletrônico, que entrega velocidade, estabilidade e performance e mostra quanto sobrou financeiramente de cada venda. O EIVE conta com 19 anos de experiência do Grupo DB1 no ecossistema de e-commerce e tem como missão ajudar os sellers a atingirem alta performance aliada aos resultados de negócio. O nome foi inspirado na junção das iniciais das palavras e-commerce, integração, velocidade e estabilidade e em Maori significa extraordinariamente.

O EIVE permite operações com alto volume de vendas e integração com mais de 20 marketplaces, plataformas de e-commerce, Correios e outras transportadoras. Com processos robustos e foco em gestão, o sistema automatiza os processos e evita a necessidade de controles paralelos, minimizando erros e aumentando a segurança da informação. Além disso, já chega ao mercado com integração nativa com o ANYMARKET, plataforma de vendas em marketplaces com mais de 1.000 clientes conectados a mais de 20 marketplaces, e o KONCILIA, o primeiro software de conciliação de pagamento dos marketplaces do mercado.

De acordo com Alison Garcia Mucio, diretor de unidade da DB1 Gestão Empresarial, uma empresa do Grupo DB1, “percebemos o mercado de e-commerce muito carente de uma solução de ERP para empresas de médio porte e apresentamos este recurso robusto e estável para clientes que estão saindo do estágio inicial de vendas online e precisam de uma ferramenta que atenda seu crescimento”, explica.

Atualmente o EIVE já conta com um portfólio com 65 clientes, entre eles Mania Virtual, MegaStore, Mirão, LT2 Shop, All Nations, Oderço, Dicomp, Autoequip, Cofebral, que são da área de e-commerce, além de outros diversos projetos em implantação.

Além do Know how do grupo DB1 com o segmento de e-commerce o EIVE se diferencia no mercado pelo quesito rentabilidade. “Em e-commerce é muito comum se falar de crescimento em faturamento e número de pedidos. Entendemos que é preciso tomar cuidado para essa não ser uma métrica de ego. Mais importante do que isso é a rentabilidade e o EIVE vem para ajudar os sellers a crescerem com resultados sustentáveis”, explica Alison.

Buysoft investe em nova sede em Maringá

Realização. Esta é a palavra que define os últimos anos da Buysoft, uma das maiores empresas de licenciamento de softwares e soluções em TI do Brasil, sediada em Maringá, no Paraná.

Para 2019, a empresa anuncia a expansão dos negócios e a preparação de sua nova sede, no Avenida Business Center, prédio localizado na região mais moderna de Maringá, e com vista para o “novo centro” da cidade. Uma localização repleta de novas edificações e empreendimentos, além de vizinhos como grandes hotéis, convenientes shoppings, além de lojas e bons restaurantes. O novo endereço vai contar ainda com amplo estacionamento, segurança 24 horas com circuito interno de TV e câmeras em todos os acessos.

A Buysoft vai ocupar uma área com 402,98 m2, quase o dobro do espaço atual, com três salas de eventos com capacidade total para 230 pessoas. O ambiente será voltado à produtividade e eficiência no trabalho, organizado em ilhas e sem nenhuma divisão que facilita a integração entre as pessoas.

O projeto de design está a cargo da arquiteta Simone Carvalho (http://www.scarvalho.arq.br) e vai contar com inúmeros quadros para anotações como parte funcional da decoração, nove TVs distribuídas em todo o ambiente e sistema de som interno, tudo para tornar a empresa um excelente lugar para se trabalhar. Para descontrair, bastará descer o elevador para estar no shopping center mais movimentado de Maringá, pronto para um descanso ou até um Happy Hour.

A previsão para a inauguração da nova sede é agosto deste ano. A empresa está preparando o espaço pensando em receber os clientes da melhor maneira possível, mas também em agradar os colaboradores. A Buysoft prevê um crescimento de 70% do quadro de funcionários, chegando a 50 nos próximos três anos (oito já foram contratados nos primeiros meses de 2019), além de 10 pessoas trabalhando em esquema de home office em Londrina, Curitiba, Campinas e São Paulo.

2019 também já está marcado como o ano em que foram promovidas uma série de mudanças na empresa. Houve uma reestruturação dos times de primeiro, segundo e terceiro escalão, lançamento da nova política de bônus e comissionamento, incentivando muito mais o time em termos de resultados, definição objetiva de funções e melhor aproveitamento de competências.

De acordo com Clemilson Correia, fundador e CEO da Buysoft, “o foco é a criação de fundamentos sólidos para estarmos preparados para o gigante crescimento que esperamos para os próximos anos. Com grande foco em rentabilidade, resultado e meritocracia”, explica. E complementa com a certeza de quem cresceu 94% e faturou R$ 31 milhões em 2018, “queremos ser líderes em todos os seguimentos que trabalhos e preparar o terreno para expansão”.

Vem aí o TICNOVA 2019, maior evento de tecnologia e inovação do Sul do país

Hoje 25/04/2019, durante solenidade na Prefeitura de Maringá, foi anunciado a 7ª edição do TICNOVA, o maior evento de tecnologia e inovação do sul do país, promovido pela Software by Maringá, entidade que reúne mais de 100 empresas de TI e startups, previsto para acontecer em agosto.

Inovação como chave para melhorar a vida das pessoas e para potencializar a criação de novos negócios são os temas principais do evento. A principal vocação do TICNOVA é articular e fomentar o ecossistema de TI de Maringá e região, além de trazer as principais tendência de mercado, promovendo a integração entre empresas, universidades, poder público e sociedade civil organizada.

Outro tema relevante a ser abordado durante o TICNOVA é o Parque de TI de Maringá, que contará com 179 mil m2 e abrigará empresas do setor e instituições de ensino, centros de pesquisas e inovação, ambientes de co-working voltados para o desenvolvimento de startups, espaços de criação como FabLab, áreas comuns de alimentação e estacionamento, creches, locais para reuniões, debates e treinamentos. O novo Parque Tecnológico promoverá ainda mais integração entre as empresas e o setor ficará ainda mais fortalecido. O evento também abordará os encaminhamentos do Masterplan, que define objetivos para 2047, quando Maringá completa 100 anos.

Segundo Luís Marcos Campos, presidente da Software by Maringá, que organiza o TICNOVA há seis anos, “esta edição será composta por várias trilhas com conteúdos customizados para os técnicos de desenvolvimento de software, temas acadêmicos, conteúdos voltados para empresários do setor, entre outros. A condução do evento será calcada na oferta do melhor em termos de inovação e tecnologia”, explica. “Também traremos alguns nomes de destaque nacional no setor de software, que se projetaram nacionalmente ou mesmo mundialmente, e que inspiram todos a empreender”, conclui.

Edney Marcos Mossambani, coordenador do APL (Arranjo Produtivo Local) de TIC de Maringá e região, Presidente da Câmara Técnica de TIC do CODEM (Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá) e líder da rede de agentes Softex (Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro) , reforça que “participarão do TICNOVA palestrantes que são referência em suas áreas de atuação para compartilhar suas experiências e também levar um pouco das experiências de Maringá e o tanto que já realizamos nestes 12 anos de APL”.

A Era do Profissional 4.0

Por Márcio Viana

Produtos inovadores, que são desenvolvidos de forma automatizada, com processos otimizados que aumentam a produtividade. Essa já é a realidade de muitas indústrias de todo o mundo: a indústria 4.0, ou quarta revolução industrial, que engloba tecnologia de ponta e noções de Internet das Coisas, da computação em nuvem e da robótica, chegou para ficar e já coleciona adeptos.

No Brasil, apesar da grande repercussão do tema, a implantação ainda é tímida, mas desafiadora. Segundo a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), em 2018 menos de 2% das empresas estavam inseridas nesse conceito. A expectativa é que, em dez anos, pelo menos 15% já estejam seguindo essa tendência.

As mudanças que acompanham todo esse processo têm impacto não só na forma de produção, mas no perfil dos profissionais inseridos (ou não) nesse mercado. A tendência é que, ao longo dos anos, pessoas com maior qualificação e diferentes habilidades ocupem mais espaço e tenham mais oportunidades de negócios. O profissional não ficará limitado a uma única função. Será preciso entender e fazer parte de todo o processo. Um líder, por exemplo, será responsável por todo o alinhamento das atividades e da produtividade da equipe, e não só pela quantidade de horas trabalhadas, como é feito (ou era) tradicionalmente.

Nos próximos 20 anos, de acordo com uma pesquisa realizada pela Roland Berger, mais de 200 milhões de profissionais estarão em falta para atender a essas novas demandas. Mas isso não quer dizer que eles não terão oportunidades. Para estar alinhado às necessidades do mercado, será preciso não só desenvolver novas competências, mas aprimorar as já existentes.

Isso faz parte do processo de inovação: estar capacitado para perceber novas oportunidades e estruturar novas situações, tornando os processos mais eficazes e simplificados, com bons resultados; criar novas ideias e incorporar esse conhecimento no dia-dia da empresa.

Visão multidisciplinar e contínua, flexibilidade e facilidade para se adaptar às mudanças, além do foco no resultado e na produtividade, é o que se espera desse profissional 4.0. Esse desenvolvimento pode começar na vida escolar e acadêmica, focando em ensinar aos jovens assuntos relevantes para o mercado, como inteligência artificial, Machine Learning, Big Data, programação, entre outros. Temas que geram impacto, também, na economia do País.

Enquanto não houver essa mudança comportamental, continuaremos com profissionais que só se preocupam com o salário e com o cargo, deixando de lado o foco no resultado, a real produtividade e a capacidade de assumir riscos.

* Márcio Viana é diretor executivo da TOTVS Curitiba

Maringá organiza primeira capacitação sobre Blockchain

Maringá já está cotada a nível nacional como um polo de criação de novos modelos de negócios especializados em Blockchain por meio da Rede Maringaense de Blockchain, que estimula a aquisição de conhecimento, pesquisa e desenvolvimento da região. Isso significa novas oportunidades em várias áreas, desde a agricultura, até a saúde, gestão pública, entre outros.

Atenta a esse cenário de inovação, a Software by Maringá, entidade que reúne mais de 100 empresas de TI e startups organiza no dia 30/03 o primeiro de uma série de cursos de qualificação para o Maringá Blockchain Hub com o tema “Blockchain – Da Tecnologia aos Negócios”.

Os facilitadores deste primeiro módulo serão Pietro Martins de Oliveira, mestre em Ciências da Computação pela Universidade Estadual de Maringá e Guilherme Furlaneto, especialista em Blockchain pela Oxford University e V.P. de Qualidade e Diretor Adjunto da Câmara de negócios financeiros (Fintech) da Software by Maringá.

CONTEÚDOS:

Os fundamentos de blockchain

Breve justificativa e motivações para o surgimento do blockchain

A primeira blockchain: o Bitcoin

Bases teóricas & tecnológicas

Criptografia Assimétrica

O Problema do Gasto duplo

Validando transações: Proof-of-work

Sistemas Distribuídos P2P: Livro Razão Distribuído

Vantagens do Blockchain

Criptomoeda, criptoativos & tokens

Securities vs Utilities

Ambientes Públicos e Privados

Organizações Autônomas Descentralizadas (DAOs)

Dapps & Smart Contracts

Plataforma Ethereum

Hyperledger Fabric

Aplicações

Setor Financeiro

Governo e Setor público

Tecnologia, Mídia & Telecomunicações

Bens de consumo & manufatura

Saúde

Blockchain Adoption Momentum

Empresas Consolidadas, Blockchain & Legados

Como estamos hoje? Percepção atual do mercado

Hype & Especulação

Businesses reais: valor perceptível

Empresários & legado

Barreiras e Desafios

Modelos com diferenças fundamentais: Startups vs Empresas Maduras

Case Rápido:

Supply Chain

SAP HANA

Desafios

IoT & Blockchain?

Como se posicionar perante à tecnologia

Hands-on: modelando uma proposta de negócio sobre blockchain & DLTs

INVESTIMENTO:

Associados Software by Maringá: R$ 100,00

Não associados: R$ 200,00

As inscrições podem ser feitas em: https://www.sympla.com.br/blockchain—da-tecnologia-aos-negocios__483527

Blockchain – Da Tecnologia aos negócios

Quando: 30/03/2019
Horário: das 8 às 17 horas

Onde: Sebrae Maringá
Endereço: Av. Bento Munhoz da Rocha Neto, 1116

Grupo DB1 está com 85 vagas abertas

O Grupo DB1, hub de empresas de tecnologia sediadas em Maringá – PR, tem crescimento estimado em 40% para 2019, superando todas as incertezas que o nosso país e o mercado internacional possam apresentar. A empresa não para de crescer e uma de suas políticas é oferecer as melhores condições de trabalho por considerar os colaboradores o seu maior patrimônio.

Para acompanhar o crescimento da empresa, o Grupo DB1 anuncia a disponibilidade 84 novos postos de trabalho para cargos técnicos e administrativos, área comercial, marketing e negócios.

Maringá ou home office:

VAGAS DE DESENVOLVIMENTO:

29 vagas para desenvolvedores JAVA
13 para desenvolvedores .NET
Vagas também para desenvolvedores front-end, PHP, Delphi e analista de negócios/requisitos (formação ou amplo conhecimento de TI ou software para atuar diretamente com desenvolvedores com experiência em negociação e perfil detalhista e analítico)
OUTRAS VAGAS:

Gerente de Projetos
Executivo(a) de vendas
Analista de novos negócios
Controler
Gerente de RH
Analista de cargos e salários
Gerentes de projetos
Redator
Analista de Inbound Marketing
Analista de UX/UI (Marketing)
Diretor (a) de Arte
Campo Grande – MS:

VAGAS DE DESENVOLVIMENTO:

2 vagas para analista de negócios/requisitos (formação ou amplo conhecimento de TI ou software para atuar diretamente com desenvolvedores com experiência em negociação e perfil detalhista e analítico)
2 desenvolvedores front-end
5 Java
São Paulo (capital e interior):

Consultor Comercial – Sorocaba – SP
Coordenador (a) de Parcerias/Reseller – São Paulo – SP
Porto Alegre – RS:

Consultor Comercial – Porto Alegre – RS

FH conquista a S/4HANA Conversion Certification

Sempre quando alguém fala em competitividade tecnológica aparecem inúmeras respostas, porém todas com a mesma essência. Se todo mundo diz que é competitivo, logo, ninguém é competitivo, não é mesmo? E quando o assunto é S/4HANA, a questão é atestar quem realmente preza por ir além do discurso, entregar mais e melhor, com qualidade e segurança nos processos SAP.

Deste modo, a Certificação S4HANA Conversion é um programa da SAP para comprovar a utilização das melhores práticas criadas pela SAP, que habilita os parceiros na transformação digital de um SAP ERP antigo, com foco no retorno financeiro ao cliente.

Durante 3 semanas, a FH participou do processo de qualificação com 7 especialistas multidisciplinares. Após a entrega deste certificado, a equipe de homologação SAP garante que os parceiros seguiram o checklist com afinco e os habilitam para seguir com suas entregas de sucesso.

“O processo para a conversão foi criterioso e específico. Como a FH preza pela constante atualização de seu time, é mais uma maneira de atestar aos nossos clientes o quanto nos preocupamos em oferecer soluções preditivas ao que o mercado demanda. Nossa parceria com a SAP é de longa data, por isso, criamos um centro de excelência entre as unidades da FH, com o objetivo de compartilhar as melhores práticas e expertise na execução dos projetos”, assegura Guilherme Mairene Rodrigues, Delivery Manager da unidade de Consulting Services da FH São Paulo.

A SAP reconhece conhecimento tecnológico e a FH segue na vanguarda em oferecer o que há de mais valioso em seu DNA: o impacto dos clientes no mundo!

Solução de conciliação financeira para marketplaces ganha mercado global

O Koncilia, primeiro software para a conciliação de pagamento de marketplaces, que automatiza os processos de repasse de pagamentos de forma confiável para empresas de todos os tamanhos, anuncia crescimento acelerado de negócios e clientes a previsão de atuar em escala global.

A nova plataforma, desenvolvida pelo Grupo DB1, teve crescimento de 200% em menos de um ano, fechando 2018 com mais de 18.500 pedidos até dezembro. Atualmente já realiza a conciliação financeira de marketplaces como Mercado Livre, Walmart, Magazine Luíza, B2W, Via Varejo, Netshoes e Amazon. Com a Amazon, a maior empresa global de comércio eletrônico e com a experiência de mais de 24 anos no mercado, o processo de integração com o Konclilia, durou apenas duas semanas e possibilitará que a solução ganhe escala global junto com o franco crescimento da empresa.

De acordo com Ilson Rezende, CEO e fundador do Grupo DB1, o objetivo do Koncilia é trazer tranquilidade e agilidade para quem vende nos marketplaces, verificando divergências nas comissões, descontos e o controlando os pagamentos conforme o contratado de maneira mais automatizada. “Fomos pioneiros em lançar uma solução de conciliação para markeplaces e comemoramos não só o crescimento dos negócios, mas a parceria com os maiores markeplaces do país, como a integração com a Amazon, que nos dará chances de escalar o produto globalmente”.

O Koncilia foi desenvolvido com integração nativa com o ANYMARKET, um hub para integração com marketplaces, que possui mais de 1.000 clientes ativos entre eles Samsung, Netshoes, Levi’s, Reserva, Centauro, Livraria Cultura, Saraiva, L’oréal, Technos e LePostiche, entre outras.

Paraná aposta na internacionalização das empresas de TIC e mira mercado externo

Representantes do setor de TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação) do Paraná se encontraram em Londrina para lançamento do programa de internacionalização das empresas do segmento, uma iniciativa liderada pela Softex (Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro), SEBRAE e SENAI.

O objetivo do programa de aceleração é gerar novas oportunidades de negócios no mercado internacional para empresas de software brasileiras e fortalecer a imagem de competência da indústria nacional de software e serviços de TIC. O programa já foi articulado em Maringá pela Softex (Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro) em parceria com a Software by Maringá, entidade que reúne mais de 100 empresas de TI, startups e profissionais autônomos e que atua como agente da Softex na região. Na ocasião o programa preparou 10 empresas de Maringá para a internacionalização e receberam consultoria especializada para acelerar a mudança de cultura empresarial e o desenvolvimento de estratégias com foco na comercialização de suas soluções no exterior.

De acordo com Regina Acutu, diretora de Comunicação e Marketing da Software da Software by Maringá, que esteve presente ao evento, “apesar das diferentes necessidades de cada polo de TIC do Paraná, como Maringá e Londrina, por exemplo, nosso estado começa a ser reconhecido como um polo de inovação em nível nacional. Com crescimento avançado, as empresas do Paraná estão se preparando para o processo de aceleração e de conquista de mercados internacionais de forma competitiva. Entendemos que há oportunidades em diversos mercados: desde países vizinhos do Mercosul, até mercados mais tradicionais, como América do Norte e Europa. As soluções das empresas paranaenses atendem a diversos setores e o programa da Softex vem atuar como catalisador desse sistema”.

Desde 2005 a Softex desenvolve, em parceria com a Apex-Brasil e com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, o programa de internacionalização competitiva de software e serviços de TI. Seu objetivo é fomentar novas oportunidades de negócios no mercado internacional e fortalecer a imagem de competência da indústria nacional de software e serviços de TI.

Da gestão à transação: empresas de tecnologia se transformam em ‘fintechs’ para diversificar negócios

Principal exemplo, Linx expandiu sua atuação com o lançamento de uma marca de meios de pagamento, um serviço de adquirência e um aplicativo para PMEs em menos de um ano

O mundo das fintechs atrai cada vez mais clientes, e esse sucesso tem despertado a atenção até mesmo de empresas que não tinham meios de pagamento como principal negócio de sua operação. De acordo com um levantamento do Citibank, de 2010 a 2015 houve um crescimento de mais de 70% de investimento global destinado às fintechs. No Brasil, essas empresas devem gerar US$ 24 bilhões na próxima década, segundo o Goldman Sachs.

Para surfar nessa onda, empresas como a provedora de tecnologia para o varejo Linx decidiram aproveitar os conhecimentos e dados já existentes para oferecer também soluções financeiras. Assim, em julho, a empresa deu seu primeiro passo nesse sentido com o lançamento de uma nova unidade de negócios chamada ‘Linx Pay Hub’.

A plataforma de serviços financeiros promete conectar transações desde o pagamento, conciliação e gestão até a antecipação de recebíveis e parcelamentos. A Linx Pay Hub anunciou sua primeira solução em outubro de 2018, batizada de ‘Linx Pay’. O movimento foi tão significativo que resultou em uma valorização instantânea de 40% nas ações da empresa, o que mostra a confiança dos investidores no sucesso das novas tecnologias.

Essa espécie de ‘adquirência’ surgiu com o objetivo de garantir mais flexibilidade e precisão aos varejistas, que além de cobrar pelos seus serviços e produtos em todas as bandeiras de cartões também poderão acompanhar o valor das vendas em tempo real, antecipar recebíveis e dividir automaticamente o pagamento entre fornecedores, colaboradores, instituições bancárias etc.

“Com a Linx Pay, o varejista passa a ter um ecossistema completo de soluções na palma da mão, além do acesso e atendimento de diferentes produtos em um único contato, sem abrir mão da segurança”, explica Denis Piovezan, diretor executivo da Linx Pay Hub.

Primeiro passo em direção às PMEs

A entrada da Linx no segmento de meios de pagamento levou a gigante de tecnologia para o varejo a explorar um mercado que antes não fazia parte de seu dia a dia: microempreendedores, pequenas e médias empresas. Também no ano passado, a companhia anunciou o Shopbit, um aplicativo para dispositivos Android desenvolvido para profissionalizar a gestão de vendas e estoques em empreendimentos menores. Com ele, o lojista pode controlar o caixa, realizar vendas direto do celular, cadastrar produtos por código, cor, tamanho e outras características, além de ser leve e possuir um design moderno e intuitivo.

Futuro

Atualmente, a empresa é responsável por atender a uma fatia de 41,3% do varejo, segundo a consultoria IDC. Entre os quase 50 mil clientes no Brasil, estão marcas dos segmentos de moda, food service, postos de combustíveis, automotivo, big retail. Para Piovezan, “toda essa movimentação é um grande sinal de que a Linx está se transformando em alta velocidade. Temos muito mais novidades por vir”.