PTI lança no Show Rural Coopavel novo edital de incubação

Está marcado para o Show Rural Coopavel, que acontece entre os dias 3 e 7 de fevereiro em Cascavel, o lançamento do novo edital da Incubadora do Parque Tecnológico Itaipu (PTI). A proposta, desta vez, é diferente: aliar demandas de empresas de médio e grande porte do Paraná a empreendedores e startups dispostos a propor soluções.

O lançamento do edital 2020 da Incubadora é uma das atrações que o Parque Tecnológico leva a 32ª edição do Show Rural. Agronegócio é um dos focos de atuação do PTI que, juntamente com seus parceiros, leva à feira uma pequena mostra de tecnologias e inovações que vem desenvolvendo para tornar o setor ainda mais competitivo.

O ganho de competitividade também é o principal objetivo do novo edital da Incubadora, que será dividido em duas etapas. Na primeira fase, serão recebidas demandas de empresas paranaenses, nas linhas de atuação do PTI: Agronegócio, Energia, Turismo e Cidades, e Segurança de Infraestruturas Críticas.

Na segunda fase, empreendedores e startups irão propor soluções para as demandas enviadas. A Incubadora do Parque Tecnológico vai selecionar 48 propostas, que receberão uma bolsa-auxílio para o desenvolvimento de um protótipo, em um período de dois meses.

Os protótipos serão avaliados pelas empresas demandantes e os oito projetos com maior pontuação entrarão para a incubação no PTI, onde terão acesso a toda estrutura da instituição, que inclui coworking, sala de prototipação e sala de design thinking da Incubadora, laboratórios, serviços e demais espaços do Parque.

Também receberão consultorias e mentorias, além de recursos para dar suporte ao desenvolvimento do produto, em um prazo de até doze meses. Mais informações serão divulgadas no lançamento do edital, marcado para o primeiro dia do Show Rural, segunda-feira, 03.

O PTI no Show Rural 2020

Projetos do Parque Tecnológico que podem auxiliar o incremento da produtividade do agronegócio estarão à mostra no estande do PTI na feira, no espaço do Show Rural Digital. É o caso, por exemplo, das aeronaves não tripuladas, popularmente conhecidas como drones, que captam imagens em locais de difícil acesso de forma segura – o que permite, por exemplo, a otimização do monitoramento da produção.

As estações meteorológicas de baixo custo desenvolvidas pelo Parque também são exemplos das tecnologias que estarão no estande. Elas compõem o projeto da “Fazenda Inteligente”, por meio do qual o Parque disponibiliza infraestrutura de rede em locais onde não há acesso e, através da aplicação do conceito de Internet das Coisas (IoT), faz a medição dos dados agrometeorológicos para auxiliar a tomada de decisões no campo.

O biogás com fonte alternativa de energia elétrica, térmica e de biocombustível e com potencial de reduzir custos e diversificar a renda do agronegócio será apresentado pelo CIBiogás no estande do Parque Tecnológico. O Centro acumula cases de sucesso no Paraná, como é o caso da Granja Haacke em Santa Helena, no Oeste do Estado, onde o que era problema – o passivo ambiental – foi transformado em ativo energético.

O estande do Parque Tecnológico também terá uma programação de palestras de segunda a sexta-feira, com temas como eficiência energética, inteligência de dados, sistema de plantio direto e inovação e negócios. O diretor superintendente do PTI, general Eduardo Castanheira Garrido Alves, também ministra uma palestra sobre o “PTI e a inovação para o agronegócio” no Fórum de TI das Cooperativas do Paraná, na quinta-feira, 06, às 14h.

Compartilhar
Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.