Aumento de salário: tudo o que você precisa saber antes de pedir

No Brasil, muitas pessoas se constrangem em pedir aumento de salário, mas a atitude não é errada. Segundo Pollini Jorio, sócia da Feedback House, plataforma de gestão de recursos humanos, para se sair bem, é importante que o colaborador tenha bons argumentos, conheça a política salarial da empresa, escolha o melhor momento, se direcione à pessoa correta e, principalmente, não tenha medo de receber uma negativa. Abaixo, Pollini Jorio, explica tudo o que o colaborador precisa saber antes de pedir um aumento salarial:

Para quem pedir?

O aumento deve ser pedido diretamente para o seu gestor, nunca para o diretor dele ou para o RH. Em ambos os casos, o pedido retornará ao seu gestor direto, que vai se sentir ofendido se perceber que o seu imediato passou por cima dele. Respeitar a hierarquia é a regra de ouro da etiqueta corporativa.

Quando pedir?

Observe a conjuntura na qual sua empresa está inserida. Se ela estiver num momento turbulento, passando por reestruturação, processo de fusão, ou crise financeira, pedir um aumento tem grandes chances de fracasso. Além disso, muito inadequado, pois demonstrará total desconhecimento quanto a realidade da empresa.

É preciso se atentar também ao momento em que o orçamento da empresa é determinado, pois não adianta fazer o pedido depois que o mesmo já estiver fechado. Considere se a empresa tem um plano de carreira, porque pode ser mais produtivo almejar uma promoção de cargo, algo que naturalmente vem com um aumento de salário.

É mais fácil pedir um aumento, quando os seus últimos feedbacks foram positivos. Não é recomendado, entretanto, pedir um aumento no momento em que uma ideia for aprovada, ou elogiada, pois costuma ser interpretado como oportunismo. O ideal é esperar de uma a duas semanas.

A reunião de entrega de resultado de avaliação de desempenho um é um bom momento para a conversa. É nesse encontro com o seu chefe que será feito um balanço do seu ano na empresa, bem como você terá espaço para falar de projetos e intenções. Assim, com base nos fatos relativos ao ano que passou, o colaborador pode pedir um aumento se os seus resultados forem positivos.

Ainda que você esteja passando por dificuldades, não é sugerível que você exponha suas questões pessoais e familiares. Apenas motivos técnicos costumam funcionar, pois demonstram, em termos de produtividade ou resultado, que será bom para ambas as partes. Até porque, se a empresa concede para um que precise de dinheiro, terá que conceder para todos os outros, sob o mesmo argumento.

O que falar?

Antes de mais nada, faça um breve histórico sobre a sua carreira e suas conquistas, relembre resultados, desafios, projetos e comprometimento. Sem modéstia, é hora de demonstrar o seu merecimento e argumentar com os resultados que você trouxe para a empresa. É primordial acumular elementos factuais, quantitativos e qualitativos, portanto, tangíveis, capazes de mensurar a sua performance.

Se você ajudou a empresa a economizar, a aumentar os lucros ou a produtividade, a evitar erros, a melhorar processos, a qualidade ou a satisfação dos clientes, se você desenvolveu a sua inteligência emocional a serviço da dela, etc, são bons argumentos. A acumulação de provas incontestáveis é essencial para que o seu pedido seja aprovado.

Caso você esteja acumulando funções, sem ter recebido qualquer aumento de salário, você também possui um forte argumento para o seu pedido. Você também pode se antecipar e solicitar novas tarefas e responsabilidades, que visem aumentar a receita ou reduzir os custos da empresa. Um aumento de salário vem, em geral, do reconhecimento de um trabalho continuado ou de uma evolução de responsabilidades.

Argumentar que já tem muito tempo de casa sem receber aumento só funciona, individualmente, se outros funcionários do mesmo setor tiverem recebido reajuste num período próximo. Caso contrário, é melhor fazer o pedido em grupo, pois será mais difícil para a liderança negar uma solicitação coletiva.

Se tiver recebido uma proposta de outra empresa, você também pode usar isso como argumento com muito cuidado e delicadeza, para não parecer chantagem. Não recomendamos que você peça demissão, pois para muitos gestores esse pedido é um caminho sem volta. A sugestão é que você tente negociar falando da média de mercado, com cuidado, argumentando que você merece um aumento por todos os seus resultados.

Nesta situação, o problema passa a ser da empresa, que sabe que poderá sair mais caro contratar um novo funcionário, treiná-lo e esperar que ele deslanche, do que conceder o reajuste. Só peça demissão se você tiver certeza que quer sair da empresa e, nessas situações, não é aconselhável que você aceite contra-propostas. Não se deve inventar jamais o recebimento uma proposta, pois, caso seja descoberto, você pode ser demitido.

Como falar?

Se o seu chefe for uma pessoa paciente, comece abordando assuntos leves, banalidades ou algo positivo, mas não enrole muito para dizer que o motivo da conversa é um pedido de aumento. Se ele for do tipo mais impaciente, talvez seja melhor ir direto ao assunto para não fazê-lo perder a paciência. Em ambos os casos, seja educado e demonstre segurança no pedido.

Se está pedindo, é porque acha justo e não tem o que temer. Inclusive, durante a sua explanação, pergunte a opinião dele em relação ao seu pedido. Isso te permitirá contra-argumentar, caso ele apresente alguma discordância. Só cuidado para não se exaltar ou falar em tom de ameaça ou desmotivação. Não é na chantagem emocional que você obterá êxito, e sim com base nos seus resultados.

A resposta vem na hora?

É provável que o seu chefe tenha que consultar outros gestores, sócios ou mesmo o RH, para te responder. Dificilmente você sairá da conversa com uma resposta. Diga que tudo bem, mas não deixe de perguntar quando vocês voltarão a conversar.

Mais uma vez, provavelmente ele não terá uma resposta para te dar, mas, dentro de uns 15 dias, não há problema nenhum em você perguntar se ele já tem alguma novidade. De toda forma, tenha em mente a porcentagem mínima que você se dispõe a aceitar, até para poder argumentar, quando a resposta vier.

E se vier uma negativa?

Lembrando que o ambiente é profissional, não é recomendado que você saia irritado, batendo a porta. O melhor a fazer é agradecer a atenção dele e pedir, educadamente, uma justificativa para a negativa, perguntando, inclusive, o que você pode fazer para conseguir o aumento.

Se a empresa não atende a uma solicitação que você considera justa, ou ela não possui meios de retribuir a sua dedicação e o seu desempenho no momento do pedido, ou ela não os reconhece. Caso você esteja feliz, uma opção é tentar negociar um tempo ou condições para um futuro aumento. Se não, talvez seja hora de procurar novas oportunidades.

Nem tudo é dinheiro

No lugar de um aumento de salário, solicitar benefícios pode ser uma alternativa interessante para conquistar novas competências e, ainda, impulsionar seu salário no próximo ano. Por exemplo, cursos de formação, como cursos técnicos, cursos de pós graduação ou até MBA, cursos de idiomas, revelam-se excelentes aceleradores de carreira. Se a sua empresa puder financiar, pode ser uma ótima oportunidade para o seu crescimento profissional. Fora isso, estude e se mantenha atualizado, seja proativo e responsável com as suas tarefas e tenha uma boa postura no ambiente de trabalho, que o resto virá.

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.