Internet banda larga via satélite aumenta produtividade na pecuária leiteira

A agropecuária é um dos principais motores da economia brasileira atualmente. Só no ano passado, de acordo com o governo, o setor teve lucro de R$ 60 bilhões. Além disso, segundo dados da Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM) de 2017 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), há 214 milhões de cabeças de gado bovino no Brasil e foram produzidos 33 bilhões de litros de leite.

Nesse cenário, é necessário que os pecuaristas tenham acesso a tecnologia de ponta para produzir cada vez mais e gerenciar todos os animais em seus rebanhos. O acesso à conectividade é uma dificuldade real, já que nem todas as fazendas produtoras de gado ficam em locais dentro do alcance de operadoras de internet. Uma solução para esse cenário é a internet via satélite, que consegue chegar a lugares que não têm cobertura de fibra ótica. Foi o que fez Nelci Mainardes, pecuarista, presidente da Associação Paranaense de Gado Jersey, dono de uma fazenda em São José dos Pinhais, no Paraná. Ele começou a administrar a propriedade em 1999 e, atualmente, produz 2.500 litros de leite.

“As dificuldades de gestão eram muito grandes. Utilizávamos conexão de internet via celular, que oscilava muito. Por isso, muitas vezes não tínhamos comunicação imediata com os funcionários da propriedade nem com fornecedores e clientes”, relata Mainardes. “Apesar da proximidade da fazenda com a cidade, existem algumas barreiras topográficas que impediam uma comunicação eficiente. Isso pode ser um problema na criação do gado, já que temos atividades 24 horas por dia. Às vezes temos de fazer uma inseminação às 23 h, ou um parto às 3 h da manhã, ou atender um animal doente, além de, é claro, fazer a ordenha às 5 h e às 16 horas.”

Mainardes encontrou a solução para seu problema na internet via satélite da HughesNet, que chegou à região de São José dos Pinhais em 2015. Ele conheceu o serviço durante uma parceria na Agroleite realizada em agosto de 2015. Inicialmente, Mainardes adquiriu os serviços da HughesNet para ter uma conexão mais rápida e segura. Mas o que o impressionou foi a melhoria na qualidade da comunicação na região de sua fazenda. “Há propriedades muito mais distantes da cidade do que a minha, e hoje estão com perfeita comunicação entre a fazenda e o dono e para demais necessidades.”

Com a internet banda larga via satélite da HughesNet, Mainardes também conseguiu melhorar a gestão de sua produção. “Facilitou não só a comunicação entre os funcionários, mas também o controle dos animais. Atualmente, utilizo um sistema de gestão agropecuária que permite a comunicação direta entre a propriedade, os funcionários, eu, e a associação. Ou seja, é uma plataforma que centraliza todo o controle e é de fundamental importância para o controle zootécnico do plantel, assim como do processo reprodutivo dos animais.” Sem internet, Mainardes não poderia fazer uso dessa plataforma porque o sistema dela é armazenado em nuvem.

Outro benefício é poder administrar sua propriedade a distância. “É muito bom ter uma via de comunicação rápida com os funcionários e deles comigo mesmo quando não estou por lá. Afinal, pode acontecer alguma emergência com o plantel enquanto estou fora. Estando conectados, podemos resolver isso de forma eficiente.”

“Essa história comprova a importância do acesso à conectividade na produção e na modernização da agropecuária”, comenta Rafael Guimarães, presidente da Hughes no Brasil. “A Hughes reafirma seu compromisso de levar conexão de internet banda larga a mais de 5 mil cidades para também potencializar o poder da inovação no campo”. Mainardes concorda: “Comunicação, hoje em dia, não tem preço”.

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.