As três turbinas que movem a economia paranaense

As gigantescas turbinas de Itaipu Binacional são uma metáfora quase perfeita do vigor do Paraná. Com um lucro superior a R$ 3,8 bilhões em 2017, a megausina hidrelétrica foi decisiva para que as 100 maiores empresas paranaenses lucrassem, ao todo, R$ 16,2 bilhões, a maior soma entre os estados da região Sul. A número 1 do ranking do Paraná não é a Itaipu, mas também pertence ao setor elétrico. Trata-se da Companhia Paranaense de Energia (Copel), que exibe o maior patrimônio, R$ 15,5 bilhões, e a maior receita líquida, R$ 14 bilhões. Sem a mesma estatura no setor, a Atlantic Energias Renováveis também brilha no ranking, ostentando o maior crescimento de vendas: 153%.

A metáfora de Itaipu só não é perfeita porque é incompleta. Impossível verificar os sinais vitais da economia paranaense sem lançar um olhar atento para o agronegócio e, muito especialmente, para o cooperativismo. O estado possui 69 cooperativas agropecuárias, com 159 mil produtores associados, o que representa 40% dos agricultores. Ao todo, 14 cooperativas figuram entre as 100 maiores do Paraná. E entre as 20 paranaenses mais bem posicionadas no ranking 500 MAIORES DO SUL, oito são cooperativas. Neste clube a Coamo segue como líder invicta, tanto em receita quanto em rentabilidade, e deve ter um desempenho ainda melhor neste ano: com a boa colheita que está por vir, a estimativa de receita da cooperativa de Campo Mourão em 2018 gira em torno de R$ 14 bilhões. E seu braço industrial ganha novo dinamismo com a inauguração da planta de processamento de soja em Dourados, no Mato Grosso do Sul. Na indústria, a terceira turbina é o setor automotivo. A Renault tem a terceira maior receita líquida do Paraná, R$ 11,5 bilhões – um crescimento de 20,4% sobre 2016. O ramo automotivo traciona vários segmentos, é verdade, mas o quadro ficaria mais completo se Volvo e Volkswagen, que também têm montadoras em solo paranaense, apresentassem seus balanços ao ranking de AMANHÃ e PwC.

Os dez maiores lucros líquidos do Paraná

Posição Grupo/Empresa

(R$ Milhões)

1

Itaipu Binacional 3.845,71

2

Banco Sistema S/A (Ex-Bamerindus) 1.573,95

3

Copel e Controladas 1.118,26

4

Coamo – Agroindustrial Cooperativa 740,52

5

Sanepar – Cia. Saneamento do Paraná 686,17

6

Klabin S/A 532,17

7

Cálamo Distr. Produtos de Beleza 510,34

8

Renault do Brasil 353,82

9

Kirton Seguros (Brasil) S/A 305,32

10

Gazin Holding Ltda. 237,35

Os dez maiores patrimônios líquidos do Paraná

Pos.

Grupo/Empresa

(R$ MILHÕES)

Variação

2017

2016

%

1

Copel e Controladas 15.510,50 14.978,14 3,55

2

Kirton Bank S/A – Banco Múltiplo (Ex-HSBC) 8.153,42 7.987,76 2,07

3

Rumo S/A (Ex-ALL e Controladas) 8.019,38 5.675,29 41,30

4

Klabin S/A 7.234,15 7.100,34 1,88

5

Sanepar – Cia. Saneamento do Paraná 5.152,65 4.808,67 7,15

6

Coamo – Agroindustrial Cooperativa 4.628,38 4.194,59 10,34

7

Renault do Brasil 1.725,67 249,77 590,89

8

Kirton Seguros (Brasil) S/A 1.624,18 1.002,07 62,08

9

Fomento Paraná 1.560,51 1.542,92 1,14

10

Arauco Forest Brasil S/A 1.554,54 1.488,20 4,46

As dez maiores receitas líquidas do Paraná

Pos.

Grupo/Empresa

(R$ MILHÕES)

Variação

2017

2016

%

1

Copel e Controladas 14.024,57 13.101,75 7,04

2

Itaipu Binacional 12.373,62 12.422,06 (0,39)

3

Renault do Brasil 11.519,31 9.571,10 20,36

4

Coamo – Agroindustrial Cooperativa 10.352,33 10.653,58 (2,83)

5

Klabin S/A 8.373,38 7.090,80 18,09

6

C.Vale – Coop. Agroindustrial 6.829,40 6.762,58 0,99

7

Rumo S/A (Ex-ALL e Controladas) 5.946,35 4.311,71 37,91

8

Electrolux do Brasil e Controlada 4.720,54 4.508,86 4,69

9

Cálamo Distr. Produtos de Beleza 4.305,31 3.697,07 16,45

10

Sanepar – Cia. Saneamento do Paraná 3.869,40 3.477,53 11,27

Os dez maiores VPGs* do Paraná

Posição 2017 Grupo/Empresa VPG* 2017 R$ Milhões

1

Copel e Controladas 13.476,91

2

Klabin S/A 7.019,64

3

Coamo – Agroindustrial Cooperativa 6.529,18

4

Rumo S/A (Ex-ALL e Controladas) 6.362,39

5

Renault do Brasil 5.505,94

6

Itaipu Binacional 5.499,42

7

Kirton Bank S/A – Banco Múltiplo (Ex-HSBC) 4.388,18

8

Sanepar – Cia. Saneamento do Paraná 4.192,70

9

C.Vale – Coop. Agroindustrial 3.514,66

10

Cálamo Distr. Produtos de Beleza 2.383,84

(*) VPG: Valor Ponderado de Grandeza. Resulta da soma de patrimônio (com peso de 50%), receita líquida (40%) e resultado líquido do exercício (10%).

Lucro impera entre paranaenses
As 183 companhias paranaenses levam vantagem sobre as representantes catarinenses e gaúchas na soma dos lucros: R$ 16,2 bilhões, o que significa R$ 3,5 bilhões a mais do que as empresas do Rio Grande do Sul e um pouco mais que o dobro das empresas de Santa Catarina (R$ 7,9 bilhões). Os menores prejuízos também pertencem às paranaenses. Suas companhias deficitárias acumularam perdas de R$ 900 milhões, enquanto as gaúchas na mesma situação queimaram quase R$ 2 bilhões.

Indicadores

PR

SC

RS

Lucro líquido (em R$ bi)

16,2

7,9

12,7

Prejuízo (em R$ bi)

(0,9)

(1,6)

(1,9)

Número de empresas

183

121

196

Método – Para revelar quem é quem entre as empresas do Sul, a Revista AMANHÃ e a PwC construíram um indicador exclusivo: o Valor Ponderado de Grandeza (VPG). O índice reflete, de forma equilibrada, o tamanho e o desempenho das empresas, a partir de uma ponderação que considera os três grandes números do balanço: patrimônio líquido (que tem peso de 50% no cálculo do VPG), receita líquida (40%) e lucro líquido ou prejuízo (10%).

RANKING COMPLETO

http://www.amanha.com.br/500maiores/

PREMIAÇÃO

A cerimônia de premiação das empresas vencedoras será realizada no dia 20 de novembro na sede da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), em Porto Alegre, a partir das 19h.

O evento contará com a participação dos governadores da região Sul que foram eleitos neste ano: Ratinho Júnior, do Paraná; Comandante Moisés, de Santa Catarina; e Eduardo Leite, do Rio Grande do Sul.

Informações para adesão: paola@amanha.com.br ou 51 3230-3508.

Confira aqui a programação completa do evento:

http://www.amanha.com.br/pages/evento500maiores

Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.