Plataforma promete dificultar fraudes em Laboratórios Agropecuários

Os Auditores Fiscais Federais Agropecuários comemoram essa semana a aprovação de uma plataforma com dispositivos conectados em uma rede local, o Hub Laboratorial. O termo Hub é utilizado em tecnologia para descrever o recurso que facilita o gerenciamento em um sistema centralizado. A ação é uma resposta a Operação Trapaça, deflagrada em março, relacionada à fraude na emissão de resultados de análises laboratoriais.

A Secretaria de defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (SDA/ Mapa) vinha desenvolvendo sistemas em blocos para modernização e reorganização nas fiscalizações. “Com o Hub Laboratorial as informações geradas nas coletas e os respectivos resultados possibilitam ações mais integradas, sem desvio de finalidade. A ferramenta e a automação servirão de base para planejamento de ações, o controle e a auditoria à longo prazo. Além de uma radiografia da produção das empresas”, diz o auditor fiscal federal agropecuário e coordenador geral de Laboratórios Agropecuários, Rodrigo Nazareno.

As análises, hoje, são realizadas com a coleta de amostras pelos fiscais em campo, preenchimento de dados à mão, enviadas para os Laboratórios Nacionais Agropecuários (Lanagros) e redigitados. Esse caminho possibilita distorções, perdas de informações e agilidade dos relatórios. “Em suas atividades, o auditor se depara com mais de 60 sistemas instalados no Mapa. Muitos não conversam entre si, dificultando a análise de informações. O Hub vem justamente no sentido de reduzir essa dificuldade e começa em uma área que relaciona com todas as demais da SDA, a área laboratorial”, conta o presidente do Anffa Sindical, Maurício Porto.

A plataforma irá rastrear as amostras desde a coleta na propriedade até o resultado final da análise para garantir a qualidade dos produtos e a segurança alimentar. “No passado tivemos casos em que um mesmo universo de amostragem deu uma diferença grande entre os Laboratórios Credenciados e os Laboratórios Nacionais Agropecuários (Lanagros), isso tende a acabar”, reitera Nazareno.

As crises geradas no setor de proteína animal após a denúncia de auditores fiscais do MAPA na Operação Carne Fraca, tanto como em seu desdobramento, a Operação Trapaça, determinaram a urgência de modernização na gestão e controle desses dados, principalmente depois que vários países reforçaram as exigências para a importação do produto brasileiro.

O sistema estará funcionando até o fim do ano e implantado inicialmente no setor de avicultura, posteriormente nas análises de outros produtores de carne. Parte da motivação na agilidade passa também por um processo de mudanças significativas na SDA para o cumprimento de metas e avanços na implantação de programas financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Marcado , , , , .Adicionar aos favoritos o permalink.

Os comentários estão encerrados.