2016 começa fraco para o comércio do Paraná

O ano começou desanimado para o varejo paranaense. Pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR) mostra redução de 16,27% nas vendas em janeiro na comparação com o mesmo mês do ano passado.

Os únicos setores que tiveram alta no faturamento foram o de vestuário e tecidos (3,24%) e materiais de construção (1,76%). As quedas mais expressivas ocorreram no ramo de móveis, decorações e utilidades domésticas (-30,81%), concessionárias de veículos (-29,92%), lojas de departamentos (-28,64%), autopeças (-26,98%) e combustíveis (-20,58%).

Após um 2015 pouco favorável, com baixa acumulada de 8,79%, e o Natal mais fraco dos últimos sete anos, com vendas 12,58% inferiores, os empresários do comércio continuam sentindo os efeitos da queda na intenção de compra dos consumidores, da inflação e da elevação dos juros, que parecem ser os únicos a aumentar, juntamente com os tributos governamentais.

De acordo com a Fecomércio PR, normalmente o mês de janeiro é pouco movimentado para o varejo, tanto que na comparação com dezembro o decréscimo foi de 19,21%, voltando ao nível de vendas verificado em novembro.

A principal questão está na redução de 16,27% frente a janeiro de 2015, o que indica que o comércio começou o ano com o pé esquerdo e não há qualquer indício de que a situação possa melhorar, especialmente diante do agravamento da crise política e econômica nacional.

O reflexo dessa estagnação do varejo será sentido também pela indústria, considerando que as compras para formação de estoques dos lojistas caíram 30,46% em janeiro. As lojas de calçados (-50,59%), postos de combustíveis (-46,02%), lojas de departamentos (-42,46%) e as de móveis, decorações e utilidades domésticas (-42,09%) foram as que mais reduziram a aquisição de produtos para a comercialização, o que demonstra a baixa perspectiva destes segmentos para o semestre.

O número de funcionários do varejo caiu 6,75% em janeiro ante o mesmo de 2015. Além das demissões, a folha de pagamento encurtou 7,66%.

Análise regional

A safra de soja e milho alavancou o comércio na região Oeste, que foi a única a apresentar faturamento positivo em janeiro, com elevação de 1,26% na comparação com o mesmo mês de 2015. Além da agricultura, as promoções elevaram a receita do comércio de roupas e tecidos (29,89%), materiais de construção (27,22%), óticas, cine-foto-som (16,83%) e calçados (14,16%).

As demais regiões tiveram queda nas vendas: Londrina (-20,32%), Curitiba e Região Metropolitana (-20,23%), Litoral (-16,75%), Sudoeste (-10,48%), Maringá (-9,79%) e Ponta Grossa (-7,78%).

Captura de Tela 2016-03-09 às 13.39.23

Captura de Tela 2016-03-09 às 13.40.16

Marcado , , .Adicionar aos favoritos o permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.